Adolescente é acusado de matar homossexuais em São Paulo

Rapaz, de 17 anos, disse ter 'ódio de homossexuais', mas mantinha relacionamento amoroso com as vítimas

Por O Dia

São Paulo - Um adolescente, de 17 anos que não teve sua identidade revelada, é acusado de matar dois homossexuais, em Agudos, interior de São Paulo. Em depoimento a Polícia Civil, o jovem disse que matou suas vítimas porque "tem ódio de gays". Ele estava foragido desde 2 de abril, quando a polícia encontrou o corpo de Igor Alves, de 15 anos, uma de suas vítimas, numa floresta de pinus, na zona rural de Agudos. O menor foi encontrado em Bauru, cidade para onde fugiu após o crime, em 29 de março.

Acusado matou jovem esfaqueado em AgudosDivulgação / Polícia Civil

Na ocasião, o adolescente tinha acabado de cumprir medida socioeducativa de internação na Fundação Casa pelo assassinato do empresário Waldiney Rocha, de 56 anos, em março de 2013. Em 27 de março de 2014, foi colocado em liberdade pelo Juizado de Menores de Marília, e dois dias depois, matou Igor Alves.

Segundo informações da Polícia Civil, Igor morreu porque estava apaixonado pelo jovem acusado. Os dois mantinham um relacionamento amoroso, iniciado quando o adolescente, que cumpria pena de semiliberdade na Fundação Casa de Iaras, vinha a Agudos nos fins de semana para visitar familiares.

Em depoimento, o acusado disse, em vários momentos, que matou suas vítimas porque tem ódio de homossexuais e que ainda pretendia matar outros gays. Durante o crime, ele teria esfaqueado Igor diversas vezes na região do pescoço. Nos dois crimes que cometeu, o adolescente contou com ajuda de comparsas e usou facas para matar as suas vítimas.

Últimas de _legado_Brasil