Justiça determina desbloqueio de estradas no RS e MG a pedido da AGU

Caminhoneiros protestam por redução dos custos para a categoria, informou a AGU nesta terça-feira

Por O Dia

Minas Gerais - A Justiça determinou a liberação de estradas federais bloqueadas por caminhoneiros no Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que protestam por redução dos custos para a categoria, informou a Advocacia-Geral da União nesta terça-feira.

Caminhoneiros seguem bloqueando rodovias do país nesta terça-feira

Governo convoca reunião no Palácio do Planalto sobre bloqueio em estradas

As decisões pelo desbloqueio das estradas em Minas e no Rio Grande do Sul são as primeiras obtidas pela AGU, órgão responsável por defender os interesses do governo federal, contra o bloqueio imposto pelos caminhoneiros em sete Estados. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o uso da força para liberação das estradas, quando necessário, foi formalmente autorizado pelo Ministério da Justiça.

Os estados mais prejudicados pelos caminhoneiros são Rio Grande do Sul%2C com 23 pontos interditados%2C Santa Catarina%2C com 15 trechos bloqueados e Paraná%2C com dez bloqueios Divulgação

A Subseção Judiciária de Pelotas (RS) determinou que os manifestantes liberem trechos das BRs 293, 116 e 392 no Rio Grande do Sul, sob pena de multa de 5 mil reais por hora de permanência dos caminhoneiros nas vias, além da aplicação das penalidades previstas no Código de Trânsito Brasileiro.

Em Minas Gerais, a pena prevista na decisão judicial é de multa de 5 mil reais para cada motorista que mantiver o bloqueio e de 50 mil reais às associações que a descumprirem.

A AGU ainda aguarda decisões sobre os pedidos de desbloqueio de estradas em São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina.

O protesto dos caminhoneiros tem prejudicado o fluxo de insumos para o setor agrícola em várias regiões, assim como afetado os setores de combustíveis, entre outros.

Últimas de _legado_Brasil