Brechós se multiplicam em tempos de inflação e de empreendedorismo

Não à toa, esse mercado cresceu 210% em cinco anos, segundo o Sebrae-RJ

Por O Dia

Rio - Em tempo de inflação alta, os brechós são alternativas para gastar até 75% menos. Não à toa, esse mercado cresceu 210% em cinco anos, segundo o Sebrae-RJ. A alta se deve em especial pela mudança de comportamento do consumidor, que passou a valorizar as roupas e acessórios usados. E para garimpar peças entre as lojas físicas e da internet, há mais de 11 mil estabelecimentos pelo país.

Os pequenos negócios que oferecem roupas usadas passaram de 3.691 para 11.469, entre 2007 a 2012. Agora, são 95% do total das empresas do segmento especializado, que engloba além de vestuário e acessórios, móveis, utensílios domésticos e eletrodomésticos.

“As pessoas adquiriam bastante acessórios usados, e agora compram as roupas. Isso mostra que o consumidor vem perdendo o preconceito com o usado”, explica Fabiana Pereira Leite, coordenadora de moda do Sebrae-RJ.

Com a irmã e sócia Carla no colo%2C a empresária Mariana Lanzillotta usa a internet e as feiras de brechós pela cidade para vender as roupas e acessórios que não usa maisAlexandre Vieira / Agência O Dia

Para a especialista, os brechós também ganharam destaque devido à mudança cultural do consumidor. “O crescimento desse negócio pode ser explicado pelo surgimento da moda sustentável, baseada no reaproveitamento de peças e incentivo ao consumo consciente”, afirma.

É o caso de Mariana Lanzillota, 29 anos, que montou o ateliê Kiuta. “Como eu tinha muitas roupas que não usava comecei a vendê-las”, lembra a dona do brechó, cujo nome vem de um apelido dado por um amigo. “Não sei de onde ele tirou, mas gostei”, afirma.

Muitos produtos usados, que estão em bom estado de conservação, são oferecidos por Fernanda Arêas, 28 anos, dona do Coisas de Fernanda. “Um tênis da Arezzo que comprei por R$ 250 e usei poucas vezes foi vendido por R$ 80. Uma calça da marca Colcci, de R$ 200, foi vendida por R$ 50. Há produtos que chegam a ser 75% mais baratos”, diz.

INTERNET PARA FATURAR

Formada em Design Gráfico, Carla Mendes, 34 anos, aproveitou a internet para ganhar dinheiro com as roupas de grife que possuía. Ela começou na antiga rede social Orkut, quando viu nos fóruns de moda pessoas procurando determinadas peças que ela mantinha em casa.

“Eu fiz a oferta e compraram. Fácil assim”, conta Carla, que hoje oferece seus produtos no Facebook, Instagram e no próprio site do seu brechó ModaBazar.

Mayra Sallie, 22 anos, se uniu as amigas Luana de Paula e Isabela Maria para criar as roupas customizadas no site a Mig Brechó. “Compramos as roupas de outras décadas, lavamos, tingimos e fazemos uma silhueta atual”, explica Mayra.

Além do consumidor valorizar roupas e acessórios usados, a atual situação econômica do país influenciou no crescimento dos brechós. A inflação dos últimos 12 meses até setembro chegou a 6,75%, acima do teto da meta do governo, de 6,50%.

Para o economista Eduardo Bassin, da Bassin Consultoria, o aumento da renda do trabalhador faz o consumidor trocar itens com mais frequência. Contudo, ele lembra que o cidadão está dando mais valor ao dinheiro que tem.

“O brechó é uma boa opção para comprar por ser barato. E com o aumento da inflação, as pessoas também estão consumindo mais, apesar de muitas lojas de usados terem preços de grifes”, esclarece Bassin.

Segundo o economista, a grande procura fez surgir novos empreendedores. A visão é compartilhada pela coordenadora de moda do Sebrae-RJ, acrescentando que a maioria abre por uma vontade antiga de possuir um negócio voltado ao setor de moda e design.

“O investimento para ter um brechó é quase zero e o estoque inicial pode ser por consignação”, explica Fabiana. “Mas é preciso saber investir no visual da loja para ficar atrativo ao consumidor. Para o comércio eletrônico, por exemplo, é necessário aprender a formar preços, já que há outros custos como o frete de peças”, ensina.

FEIRA REÚNE ANTIGAS E NOVAS GRIFES

Hype Free Market terá 160 expositores e espera público acima de quatro mil

Novos designers e brechós estarão reunidos no próximo dia 2 de novembro, de 11h às 20h, na segunda edição do Hype Free Market, no Shopping Cittá America, na Barra. Com entrada franca, o evento é inspirado nas consagradas feiras de rua ao redor do mundo. A primeira edição reuniu quatro mil pessoas.
Entre os 160 expositores estão Maria Cris, de moda feminina, e a Folk, de moda masculina, a Viva!, com camisetas unisex, e a Litori e a BKN Bikinis, de moda praia. Também estarão presentes como produtos de decoração a Porcelanas Lidia Quaresma, Andrea Pires Arte Luminárias e Almofadas Dia a Dia. Entre os estreantes no Hype Free Market estão Carolina Valadares e Tô Frida, de bijuterias, Eu Zé, de camisetas, e a Bossa Rio Presentes, de decoração, entre outras. Também haverá espaço gatronômico com bares e restaurantes.
“Queremos dar a oportunidade para qualquer pessoa promover o seu brechó particular e, quem sabe, tomar gosto pelo comércio tornando-se um empreendedor”, afirma Robert Guimarães, um dos criadores da feira.
“Vivemos um momento em que não existe mais o certo ou errado da moda. Hoje, cada pessoa cria seu estilo misturando peças novas e usadas”, acrescenta Fernando Molinari, curador do evento.

ONDE GARIMPAR

HYPE FREE MARKET
Em 2 de novembro. Gratuito. Shopping Città America. Av. das Américas 700, Barra. Tel: (21) 2132-7777.

DESAPEGO NOIVAS
Suprimentos para casório: facebook.com/bazardesapegonoivas.

SAMBAZAR
Aos domingos, na Associação de Moradores de Laranjeiras. Rua Pinheiro Machado 31. (21) 97564-5977.

BAZAR REITORIA
Arte, moda, decoração e acessórios na UFRJ: reitoriabazar@gmail.com.

FEIRA DA ALEGRIA
Paróquia Santa Teresa: bordado, tricô e costura. santateresatem.com.br.

QUERO BAZAR
Grandes marcas com até 70% de desconto no www.querobazar.com.br/.

BAZAR DA KIUTA
Peças semi-novas: bazardakiuta.blogspot.com.br/.

COISA DE FERNANDA
Venda e dicas de gastronomia em dicasdefernandacosta.blogspot.com.

MIG BRECHÓ
Customização de peças em migbrecho.wix.com.

MODABAZAR
Moda feminina no endereço modabazar.com.br

BUSCA BRECHÓ
Site de pesquisa de brechós: https://www.buscabrecho.com.br.

OLX DESAPEGO
Roupas e calçados: olx.com.br/q/desapego

ENJOEI
www.enjoei.com.br.

Últimas de _legado_Economia