Governo federal gastou R$ 1,2 bilhão em diárias de viagem em 2014

De acordo com a Associação Contas Abertas, do total, outro R$ 1,5 bilhão foi gasto em bilhetes aéreos, excesso de bagagens, transporte de servidores e pedágio

Por O Dia

Rio - O governo federal bateu recorde de gastos com diárias e passagens em 2014. Foram desembolsados R$2,7 bilhões, o maior volume registrado nos últimos quatro anos. As diárias dos servidores em viagens a trabalho consumiram R$ 1,2 bilhão do total. De acordo com a Associação Contas Abertas, do total, outro R$ 1,5 bilhão foi gasto em bilhetes aéreos, excesso de bagagens, transporte de servidores e pedágio, entre outros.

A Contas Abertas fez um comparativo que chama atenção. Com os recursos gastos em diárias de servidores, é possível viver por 480 anos na suíte mais cara do Copacabana Palace. A diária na cobertura custa cerca de R$ 7 mil por dia.

De acordo com a associação, o Ministério da Justiça ocupa o primeiro lugar entre os órgãos que tiveram maiores gastos com diárias, com R$ 243,7 milhões. Ministério da Defesa vem em segundo lugar, com R$ 223,5 milhões. Já os gastos com passagens e despesas de locomoção tiveram maior volume no Ministério da Educação, com R$ 285,1 milhões, seguido do Ministério da Saúde, com R$238,6 milhões.

Foi observada redução de gastos nas hospedagens em 2014, quando foram executados R$59,8 milhões. Em 2013, o total apurado foi de R$ 63,6 milhões.

PONTO FACULTATIVO

O prefeito do Rio Eduardo Paes decretou ponto facultativo no próximo dia 19, segunda-feira, em virtude do feriado municipal de São Sebastião, comemorado dia 20. A Secretaria Municipal de Saúde vai editar resolução para regulamentar o expediente nas unidades. As repartições públicas estaduais, situadas na capital, também não funcionam dias 19 e 20.

ATRASO EM SALÁRIOS

Funcionários terceirizados da Polícia Civil e do Detran ainda não receberam o salário este mês. De acordo com alguns trabalhadores, a Prol, empresa responsável pelo pagamento, teria informado que o salário será pago somente na próxima semana. Não está descartada uma greve dos dois grupos, caso o depósito não seja efetuado nos próximos dias.


Últimas de _legado_Economia