Casal holandês sequestrado no Iêmen pede ajuda em vídeo na internet

Holanda tem dez dias para evitar que casal seja executado

Por O Dia

Bruxelas (Holanda) - A jornalista holandesa e seu marido que foram sequestrados há um mês no Iêmen pediram às autoridades e à sociedade da Holanda "que façam algo" para evitar a execução do casal em um prazo de dez dias, de acordo com vídeo postado na internet e divulgado nesta segunda-feira pela imprensa.

Judith Spiegel, correspondente da emissora pública "VRT" e de outros meios de comunicação holandeses, e seu companheiro, Boudewijn Berendsen, foram capturados por um grupo de homens armados na casa onde moravam em Sana, capital do país, na segunda semana de julho, segundo relembrou o site de notícias "Dutchnews".

No vídeo, Spiegel diz estar com "um grande problema", já que "não aconteceu nada" após seus contatos com o embaixador holandês no Iêmen quando lhe explicou as condições para sua libertação. "Estamos muito, muito, muito assustados. É preciso encontrar uma solução", diz a jornalista na gravação postada no YouTube no último dia 13 e posteriormente divulgada pelas redes sociais. Spiegel termina seu discurso pedindo a "família, imprensa e companheiros holandeses" que "façam algo", e assinala entre lágrimas que se não tomarem providências, o casal estará morto "em dez dias".

O vídeo gerou comoção na Holanda e provocou várias reações, entre elas a do ministro das Relações Exteriores, Frans Timmermans, que afirmou em sua conta do Facebook que o caso tem a "total atenção" do Executivo.

"Mas devo acrescentar que falar sobre isso em público quase nunca ajuda a chegar a uma boa solução", declarou o ministro holandês. O Ministério das Relações Exteriores manteve contato nos últimos dias com as famílias dos dois cidadãos holandeses, segundo confirmou um porta-voz ao "Dutchnews".

Últimas de _legado_Mundo e Ciência