Revista obtém vídeo que mostra últimos momentos de avião que caiu na França

Gravação foi recuperada nos escombros por alguém próximo às investigações do desastre e obtida pela revista 'Paris Match'

Por O Dia

França - Um vídeo gravado pelo celular de uma das pessoas a bordo mostra os últimos instantes do voo 4U9525, da companhia aérea alemã Germanwings, que se chocou contra os Alpes franceses no último dia 24 de março.

A gravação foi recuperada nos escombros por alguém próximo às investigações do desastre e obtida pela revista "Paris Match", que, no entanto, não a divulgou. Segundo a publicação, a procedência das imagens não "dá lugar a dúvidas".

O vídeo apresenta uma cena "caótica", onde não é possível distinguir ninguém, a não ser os gritos dos passageiros. De acordo com a revista, é possível ouvir as pessoas falando "meu Deus" em vários idiomas e, em pelo menos três ocasiões, golpes metálicos.

Copiloto alemão Andreas Lubitz lançou a aeronave de propósito contra a montanha%2C matando 150 pessoas Reuters

Isso fortalece a tese do jornal alemão "Bild" de que o comandante da aeronave teria tentado abrir a porta da cabine com um machado. Ainda segundo a "Paris Match", os gritos se intensificaram após uma sacudida mais forte, provavelmente o choque de uma das asas contra uma montanha, até que não há mais nada.

O Airbus A320 da Germanwings ia de Barcelona, na Espanha, a Düsseldorf, na Alemanha, com 150 pessoas a bordo. Todas morreram. O copiloto da aeronave, Andreas Lubitz, é acusado de derrubá-la de propósito.

Relatos de um investigador sobre o vídeo, segundo a revista "Paris Match":

Às 10h o avião decolou.

Às 10h10, o capitão diz para Andreas Lubitz: "Eu não tenho tempo para usar o banheiro antes de decolar". Andreas Lubitz responde: "Vai sempre que você quiser".

Às 10h27, o capitão pede para Lubitz preparar a aproximação para o pouso. O copiloto obedece. Ele repete com o capitão novamente: "Você pode ir. Você pode ir agora".

Às 10h28, o capitão tira o cinto de segurança, abre a porta e diz para Lubitz: "Você está no controle agora".

Às 10h30, Lubitz está sozinho na cabine. Ele fecha a porta blindada com o botão de "bloqueio" e já não era possível abrir a porta pelo lado de fora. Ouve-se os sons do piloto automático sendo reprogramado para acelerar a descida, empurrando o avião de 38 mil pés (11 mil metros) para 100 mil pés (30 metros), em questão de minutos.

Às 10h33, a voz do capitão pode ser ouvido enquanto ele tenta abrir a porta: "Sou eu!". Lubitz podia vê-lo na tela, mas não reagiu. O capitão pega um tanque de oxigênio ou extintor de incêndio, a fim de quebrar a porta. O capitão grita: "Pelo amor de Deus, abra essa porta!".

Às 10h35, sons de golpes com um objeto metálico na porta podem ser ouvidos. Era o piloto tentando arrombar a cabine com um "pé de cabra".

Às 10h37 o piloto grita: "Abra a maldita porta".

Às 10h38, apesar dos ruídos ensurdecedores, a respiração de Lubitz pode ser ouvido através de uma máscara de oxigênio que ele colocou.

Às 10h40, um som violento pode ser ouvido do lado de fora do avião. Gritos de passageiros puderam ser ouvidos.

Às 10h41, o avião atinge a motanha a uma velocidade de aproximadamente 800 km/h. As 150 pessoas que estavam na aeronave morreram.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência