Vídeo flagra desespero em casa noturna invadida por terroristas

Jornalista do 'Le Monde' registrou a tentativa de fuga de centenas de pessoas que assistiam a um show no Bataclan

Por O Dia

Paris (França) - O Bataclan, casa noturna onde acontecia um show para 1 mil pessoas na noite desta sexta-feira, foi o principal alvo de terroristas que promoveram uma ação coordenada em Paris, deixando 118 mortos. O lugar estava com a lotação completa – eram fãs da banca de heavy metal Eagles of Death Metal. Assim que o tiroteio começou, muitos tentaram escapar pelas portas dos fundos. O repórter do jornal francês "Le Monde" registrou o momento de desespero. O vídeo tem imagens fortes.

Neste sábado, perto da casa de show, franceses e turistas depositam flores em homenagem aos mais de 80 mortos atingidos ali, onde peritos trabalham para identificar vítimas e recolher indícios do atentado.

O Consulado do Brasil em Paris ainda não foi informado, pela polícia, sobre a nacionalidade das mais de 100 vítimas do Bataclan. As autoridades brasileiras estão preparadas, portanto, para a possibilidade da existência de mais brasileiros entre as vítimas, que só foram retiradas do prédio onde ocorreu a tragédia na manhã deste sábado.

Seis atentados terroristas, reivindicados pelo Estado Islâmico, mataram 128 pessoas e deixaram cerca de 300 feridos na capital francesa. Pelo menos 80 pessoas estão em estado grave.

O consulado estima que cerca de 80 mil brasileiros vivem na França, mas o número pode ser ainda maior, já que nem todos se comunicam com as autoridades brasileiras. Durante toda a noite, uma funcionária do consulado ficou de plantão atendendo ligações de moradores e turistas sem saber o que fazer, e de parentes e amigos em busca de notícias de pessoas que viajaram à capital francesa. O telefone de plantão do consulado é +336 80 12 32 34.

A França amanheceu de luto neste sábado após os ataques terroristas que mataram mais de 120 pessoas em ParisEFE

Em nota na página no Facebook, o consulado brasileiro recomenda que os cidadãos brasileiros que moram na França, especialmente em Paris, “façam contato com seus familiares no Brasil para tranquilizá-los”. Pede ainda “que os cidadãos restrinjam a circulação pelas ruas da capital francesa e pelo país, até que a situação se normalize”.

Ato de guerra

De acordo com o presidente François Hollande, os ataques foram um “ato de guerra” e o país está em estado de emergência. Estão proibidas manifestações em lugares públicos e as escolas e monumentos ficarão fechados até nova orientação. No momento do atentado, Hollande estava no estádio nacional, acompanhando a partida de futebol entre França e Alemanha.

O presidente francês atribuiu os atentados ao Estado Islâmico, cujos representantes já reivindicaram a autoria. A França decretou luto oficial de três dias. Um dos suicidas já foi identificado como cidadão francês. Alguns especialistas dizem que os serviços de inteligência já tinham informações sobre a possibilidade de atentados terroristas e estavam monitorando franceses que retornaram recentemente de países islâmicos.

Com informações da Agência Brasil

Últimas de _legado_Mundo e Ciência