Alta dos transportes custa R$ 714 milhões

Aumentos das passagens reduzem a renda dos fluminenses e têm forte impacto na inflação do Grande Rio

Por O Dia

Rio - Todos os reajustes nas tarifas dos transportes públicos fluminenses em 2015, somados, terão um impacto anual de aproximadamente R$ 714,6 milhões no bolso dos passageiros (e empregadores, indiretamente). A estimativa, divulgada pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ), representa o custo extra que os usuários pagantes terão, ao longo do ano, em virtude dos últimos aumentos de 13,3%, nos ônibus; 3,98%, no metrô; 5,75%, nas barcas; e 3,66%, nos trens.

A entidade estimou ainda o efeito da cobrança das novas tarifas na inflação, principal fonte para a desaceleração da economia em curso no estado e no país. Considerando os pesos por modal, os aumentos nas passagens terão impacto na ordem de 2% no índice de preços oficial do governo (IPCA) no Grande Rio, este ano — nos últimos 12 meses, o setor de transportes acumulou alta de 10%, ante os 8,1% apurados no país.

Alta dos ônibus do Rio no início do ano foi de 13%2C3%%2C a maior do paísJoão Laet / Agência O Dia

“Isso significa um efeito direto sobre a redução da renda disponível da população e sobre os custos dos empresários com folha de pagamento. O estudo levou em consideração os deslocamentos na Região Metropolitana, onde os modais estão mais presentes, e apenas as viagens pagas em dias úteis no ano passado (1,95 bilhão de passagens, ao todo)”, afirma Christian Travassos, gerente de Economia da Fecomércio RJ.

O economista observa que o gasto adicional será 43% maior do que os R$ 543 milhões pagos em 2014 pelo governo do estado de subsídio ao Bilhete Único. Ainda segundo ele, o reajuste dos ônibus, que subiram R$ 0,40 em janeiro (a maior alta de todas as capitais este ano), foi o que mais pesou para o cálculo, já que correspondem a mais de 80% dos deslocamentos. O último reajuste entrou em vigor no metrô, que subiu de R$ 3,50 para R$ 3,70 quinta-feira. A tarifa social, que custava R$ 3,20 para usuários do Bilhete Único, foi extinta.

Últimas de _legado_Observatório da Mobilidade