Editorial: Até onde vai o mal da corrupção

Na PM há indícios de novos desvios, como o dos combustíveis, e contam-se casos novos às dezenas todos os meses

Por O Dia

Rio - A sociedade precisa ter plena consciência do que significa a corrupção, sobretudo de suas consequências, para combatê-la em plenitude. Roubalheiras não apenas maculam imagens ou provocam rombos. Destes decorre série de prejuízos que, muitas vezes, vão muito além das cifras. Caso exemplar é o da Máfia da Saúde da PM, revelado pelo DIA.

Ontem, o jornal mostrou que as fraudes nas compras de insumos detonaram crise no hospital da corporação, que se viu obrigado a fechar 70 leitos. Malfeitos que causam transtornos não só à tropa, mas à população inteira: com a capacidade de atendimento médico reduzida, a PM custará a cuidar de seus homens, e daí vem o efeito cascata. Todos perdem.

Na própria PM há indícios de novos desvios, como o dos combustíveis, e contam-se casos novos às dezenas todos os meses em diferentes níveis da administração.

De onde não pode haver dúvidas da importância de se buscar a tolerância zero com corruptos.

Últimas de _legado_Opinião