Ladrões fazem arrastão em casas

Seis imóveis da mesma rua, em Maricá, são invadidos por criminosos numa única manhã

Por O Dia

Rio - Uma nova ação criminosa está deixando moradores de Maricá, na Região dos Lagos, apavorados: o ‘arrastão’ em residências. Na segunda-feira, seis casas foram invadidas e furtadas na mesma rua, no loteamento Jardim Atlântico, distrito de Itaipuaçu. Peritos estiveram nos imóveis e recolheram impressões digitais. Além de um carro, os ladrões levaram aparelhos de TV, videogames, dinheiro e joias. O prejuízo das vítimas ultrapassa os R$ 10 mil. Policiais que trabalham na cidade aconselharam que moradores da região aumentem a altura dos muros.

Segundo a Polícia Civil, os bandidos aproveitaram o momento em que as vítimas estavam fora para praticar o crime. Uma das vítimas, o motorista Carlos Augusto Godinho da Silveira, de 56 anos, que morava em São Gonçalo, se mudou há pouco mais de um ano para Itaipuaçu sonhando com uma vida sem sustos.

“Vim para cá em busca de paz e agora estamos com esse trauma”, desabafou, para depois dar detalhes sobre o crime: “Meu filho chegou e encontrou o portão aberto. Seis casas da rua estavam com os portões escancarados. Somente os dois imóveis da calçada oposta, que estão à venda, não foram invadidos”, contou Carlos Augusto, que perdeu uma televisão 42 polegadas, um relógio e dois aparelhos de videogame.

Das outras residências os criminosos também levaram TVs — de preços que variavam de R$ 1.500 a R$ 4 mil —, além de computador, um par de brincos de ouro, dinheiro e o Gol branco placa KTS 9671.

“Eles ainda tentaram levar o carro do dono da penúltima casa da rua, reviraram a casa inteira procurando pelas chaves, mas o proprietário tinha ido trabalhar e levado as chaves do veículo”, revelou o eletrotécnico João Vicente Dias, de 49, que mora em São Gonçalo, e costuma ir para o endereço aos finais de semana.

“Arrombaram as portas do quarto e do banheiro, mas por sorte não tinha ninguém em casa. Raramente vemos um carro de polícia passando por aqui. Precisamos de mais policiamento”.

Últimas de Rio De Janeiro