Polícia vai aumentar efetivo nas praias e nos trajetos dos ônibus no verão

Força-tarefa contra arrastões terá 740 policiais

Por O Dia

Rio - Para combater arrastões, além das desordens no trajeto de ida e volta às praias, já a partir deste fim de semana a Polícia Militar irá reforçar o patrulhamento na orla do Rio. Operações de abordagens em coletivos passarão a ser frequentes ao longo de todos os trajetos e 30 policiais do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) serão incluídos no patrulhamento do Arpoador, atuando especificamente nas areias.

Ao todo, a Operação Verão contará com 740 policiais e terá o reforço dos batalhões de Botafogo, Copacabana, Leblon, Ipanema e Recreio, além do Batalhão de Choque (BPChoque), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e de recrutas do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap).

O Arpoador%2C no último domingo%2C foi palco de arrastões%2C que se estenderam por bairros como Laranjeiras. Com isso%2C a polícia reformulou estratégia para enfrentar situaçõesAlexandre Brum / Agência O Dia

“Houve um aumento no número de pessoas nas praias. Temos um limite operacional, mas vamos aumentar o efetivo policial, buscar recursos materiais, usar mais helicópteros para diminuir estas ocorrências e dar tranquilidade à população. Também teremos uma parceria com a Guarda Municipal”, enfatizou o comandante geral da Polícia Militar, coronel Alberto Pinheiro Neto.

A decisão foi tomada após os episódios de roubos e confusões no último domingo em alguns pontos do Rio. Em Ipanema, na altura do Posto 8, foi registrado arrastão nas areias. Houve, ainda, depredação de ônibus e assaltos em bairros como Laranjeiras e Cosme Velho. Em um vídeo, um ônibus com dezenas de adolescentes assustou quem passava pelo Túnel Rebouças. Sem janelas, os jovens se penduravam e surfavam no teto do coletivo.

“A ação vai do 2º BPM (Botafogo) até a região do Recreio e de Guaratiba. Já realizávamos ações nos pontos finais de ônibus, mas registramos invasões ao longo dos percursos. Com isso, vamos intercalar os pontos de abordagem e, se houver suspeitas e necessidade, realizaremos revistas dentro dos coletivos”, disse subchefe do Estado-Maior Geral Operacional, coronel Cláudio Lima Freire.

Desde setembro, quando foi implementada a Operação Verão, estão em andamento ações de abordagens em coletivos. As principais linhas de atuação da operação são as que têm o trajeto que incluem orlas e proximidades. Por determinação do Comandante do 1° Comando de Policiamento de Área (CPA), coronel Luiz Henrique Marinho Pires, a partir deste fim de semana estas operações serão intensificadas.

Turistas suam a camisa para se adaptar ao Rio

O sol escaldante e temperatura na casa dos 40 graus durante dias seguidos estão fazendo os turistas estrangeiros buscarem estratégias para enfrentar o calor. São chapéus, abanadores e muita água mineral. “Com certeza aqui no Rio estou enfrentando o maior calor que já passei na vida”, disse o argentino Adolfo Williner, de 26 anos, ontem na Escadaria Selarón, na Lapa: “Estou andando muito sem camisa, o que nunca fiz nas ruas da Argentina”, comentou o turista, molhado de suor.

O casal paraguaio Valentin e Graciela não se separa da sua garrafa de chimarrão geladoSeverino Silva / Agência O Dia

Os europeus são os que mais sofrem. Os noruegueses Nongo Miranda, 24 anos, e Hannah Albrigstsen, 23, deixaram seu país quando termômetros marcavam temperaturas abaixo de zero. “Bebemos muita água, tomamos muitos banhos, inclusive de mar, e sempre ficamos em algum lugar com ar-condicionado”, disse Hannah.

Nongo contou que comprou uma mochila que transporta água. E que não sai sem protetor solar e boné: “O sol é muito forte aqui. É impossível imaginar uma temperatura como esta na Noruega”. Apesar de estarem acostumados com o calor de Assunção, o casal paraguaio Valentin Gonzalez e Graciela Souza não se separa da sua garrafa de tererê, uma espécie de chimarrão que se bebe gelado, uma bebida típica no Paraguai. “Assunção também é uma cidade muito quente. Nós bebemos muito líquido para não desidratar. Só de tererê bebemos cerca de quatro litros por dia”, contou Valentin.

Porém, para o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Alfredo Lopes, o forte calor estimula o turismo de lazer. A ocupação média dos quartos de hotéis deve ficar em torno dos 80%, 5% a mais do que no verão passado. De acordo com a Riotur, a estimativa de turistas que visitarão a cidade entre dezembro e março é de 3,64 milhão de pessoas. Um aumento de 384 mil visitantes em relação ao período passado.

Nos Arcos da Lapa%2C momento de alívio com água mineralSeverino Silva / Agência O Dia

Calor no metrô vira alvo de ação

Conforme O DIA mostrou na edição de ontem, a temperatura nos trens antigos do metrô que circulam na Linha 2, quando circulam pela superfície, sob o sol a pino, chegam a 34,6 graus. E ontem mesmo foi instaurado, pelo Procon estadual, um processo administrativo contra o MetrôRio.

A ação determina que a concessionária apresente sua defesa em um prazo de 15 dias. Caso a justificativa não seja aceita, a empresa será multada. O valor será calculado a partir do relatório econômico com base na receita bruta dos últimos três meses. Segundo o Procon, o artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor, garante “o direito básico de adequada prestação dos serviços públicos em geral”. De acordo com a concessionária, uma força-tarefa foi montada para inspeção geral dos sistemas de ar-condicionado, “tanto preventiva quanto corretiva”.

Colaborou Flora Castro

Últimas de Rio De Janeiro