Bandidos expulsam fiscais do Procon na estação de Del Castilho da Supervia

Agentes filmavam o funcionamento dos trens e foram revistados pelo grupo, que só os liberou ao constatar que eles faziam uma fiscalização; empresa será autuada por falta de segurança

Por O Dia

Rio - Dois fiscais do Procon Estadual foram expulsos da estação de Del Castilho, na Zona Norte do Rio, na quarta-feira, por oito bandidos que ocupavam livremente a plataforma da Supervia. Os agentes faziam uma filmagem para investigação do órgão sobre o funcionamento das composições e qualidade dos serviços. Além de já ter sido autuada por diversas irregularidades, como a circulação de composições de portas abertas, a concessionária terá de responder a processo administrativo por não oferecer segurança aos usuários. 

Segundo o órgão, os agentes fiscalizavam os serviços da concessionária, devido às últimas denúncias da circulação de composição de portas abertas. Os bandidos os abordaram, mediante intimidação, e fizeram uma vistoria nos fiscais. O grupo chegou a perguntar aos fiscais se eles eram policiais. Os fiscais só foram 'liberados' depois de o grupo constatar que se tratava de uma operação relativa à Supervia. 

Ainda de acordo com o Procon, havia câmeras no local, porém, nenhuma ação da segurança da concessionária foi tomada. Um dos agentes passou mal e teve de ser encaminhado ao hospital para atendimento. 

Procon multa Supervia por trens circularem de portas abertas

Por meio de nota, a SuperVia afirmou que o Grupamento de Policiamento Ferroviário (GPFer) é responsável pela seguran pública dentro do sistema ferroviário. A concessionária alegou ainda que "respeita a fiscalização do Procon, colocando-se à disposição para esclarecimentos e informações sempre que necessário". A empresa também informou que apresentará recurso contra as autuações.

Fiscalização foi motivada por atropelamento que ocorreu em dezembro

Os fiscais estavam na estação de Del Castilho investigando a defesa apresentada pela SuperVia em processo administrativo aberto devido ao atropelamento de um passageiro por um trem, em 22 de dezembro, na estação de Edson Passos.

Na ocasião o passageiro atropelado caiu do trem que viajava com portas abertas. Os fiscais realizaram viagens em horários de rush nos quatro principais ramais dos trens do Rio de Janeiro - Santa Cruz, Japeri, Belford Roxo e Saracuruna - e constataram que os trens viajam de portas abertas por várias estações, ao contrário do que a concessionária alegou em sua defesa.

Em sua defesa, a SuperVia alegou que os trens possuem um sistema de "intertravamento de portas, atendendo a uma exigência do Procon". Caso a abertura das portas seja forçada pelos passageiros, equipes de funcionários seriam acionadas para garantir o fechamento delas, de forma que as portas só ficariam abertas, no máximo, no intervalo entre duas estações em sequência. 

No entanto, os fiscais confirmaram que, no horário de rush, os trens lotados viajam com as portas abertas durante longos intervalos, parando e prosseguindo sem serem fechadas por várias estações. Com isso a defesa alegada não foi aceita pela autarquia e a SuperVia também será multada por isso.

O valor das multas será calculado a partir do relatório econômico com base na receita bruta da concessionária nos últimos três meses.

Últimas de Rio De Janeiro