Quatro policiais mortos e seis feridos em menos de 24h no Rio

Em Nova Iguaçu, PMs de folga bebiam em padaria quando bandidos abriram fogo

Por O Dia

Rio - Em onda de violência que começou no sábado, 10 policiais foram baleados no estado, em menos de 24h. Quatro morreram, e seis ficaram feridos em ataques ocorridos nos municípios de Nova Iguaçu, Mesquita e Niterói, na Barra da Tijuca e nos complexos da Penha e do Alemão, na Zona Norte do Rio.

Em Nova Iguaçu, ontem de manhã, os soldados da PM Pedro Gabriel Ferreira, de 25 anos, Marcos José Oliveira, e Leandro Alves Moura, bebiam na Padaria Via Country, no Centro, quando três homens saíram de um Honda Civic e atiraram. Pedro não resistiu e morreu. Marcos foi atingido nos joelhos, e Leandro saiu ileso. “Não foi assalto. Eles só atiraram”, disse uma testemunha, que não se identificou.

Pedro (embaixo)%2C tirou uma ‘selfie’ com Marcos e Leandro (de branco)%2C poucos minutos antes do ataqueReprodução


Um parente de Leandro, sem se identificar, disse que o trio havia trabalhado junto no sábado, em serviço extra no 20º BPM (Mesquita). “Eles eram muito amigos e entraram na PM juntos. O Marcos morava nessa rua”, contou. Pedro era lotado na UPP da Rocinha. Marcos, no Batalhão de Polícia Rodoviária e Leandro, no 24º BPM (Queimados).

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), que trabalha com a hipótese de latrocínio, contrariando as testemunhas. “Os bandidos foram assaltar e se deparam com os PMs”, disse um investigador. Segundo ele, houve troca de tiros e um bandido foi alvejado no tórax. Marcos foi levado para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, e transferido para o Hospital da PM, no Estácio. Seu quadro de saúde não foi divulgado.

Outras três mortes ocorreram no Recreio dos Bandeirantes, ontem à tarde, em Niterói, na manhã de ontem, e no sábado à noite, em Mesquita.

No primeiro caso, o PM Alan Barros da Silva, do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), levou cinco tiros em tentativa de assalto, às 15h30, na Praia dos Amores. Ele chegou a ser levado para o Hospital Lourenço Jorge, mas não resistiu. 

Em Niterói, o policial civil Thiago Thomé de Deus foi morto na Rua 22 de Novembro, no bairro Cubango. Ele voltava com a mulher do Sambódromo, no Rio, e foi abordado por homens armados. O policial tentou reagir, mas a arma não funcionou. Thiago, que era lotado na Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), morreu após ser levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Em Mesquita, o policial civil Cid Jackson Silva, da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), morreu em tentativa de assalto. A polícia suspeita de traficantes do Morro da Coreia.

Baleados por traficantes

Nos complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte do Rio, cinco policiais ficaram feridos em confrontos com traficantes. Três policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Chatuba, na Penha, foram baleados por bandidos na noite de sábado. Eles realizavam patrulhamento quando foram atacados por traficantes, e houve tiroteio. Um dos militares foi atingido no pé, outro no braço e o terceiro na orelha, de raspão. Eles foram socorridos no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, em casos sem gravidade. A ocorrência foi registrada na 22ª DP (Penha).

No início da madrugada de sexta-feira, dois PMs da UPP Nova Brasília, no Alemão, foram vítimas de estilhaços após um ataque de bandidos, durante um patrulhamento. Eles foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, medicados e liberados. O caso foi registrado na 45ª DP (Alemão).

Últimas de Rio De Janeiro