Polícia investiga vídeo de PMs do batalhão de São Gonçalo em baile funk

Policiais são acusados de obrigar as pessoas a repetir: ‘Eu amo o 7º BPM’

Por O Dia

Rio - A forma inusitada que os policiais do 7º BPM (São Gonçalo) teriam encontrado para acabar com baile funk no Morro da Chumbada, sábado, em São Gonçalo, foi parar na Corregedoria Interna da PM. Acusados, eles poderão responder a pelo menos três crimes: ameaça, abuso de autoridade e constrangimento ilegal.

Um vídeo mostra imagens de participantes do evento sendo obrigados a andar de mãos dadas e repetir a frase: “Eu amo o sétimo batalhão”. Nesta quarta-feira, a corporação determinou investigação do vídeo, publicado pelo DIA Online. As investigações pretendem identificar os PMs que estavam na Chumbada, pois eles não aparecem nas imagens. Na gravação, os homens, que seriam os militares, fazem ameaças de morte, de agressão e falam palavrões.

“Repudiamos esse tipo de atitude, que não condiz coma atuação do policial militar. Abrimos uma sindicância para apurar o caso”, afirmou o coronel Frederico Caldas, coordenador de Comunicação Social da PM.

Comandante da unidade, o coronel Fernando Salema defendeu as operações de repressão aos bailes. “Estou reprimindo os bailes irregulares, onde traficantes aproveitam a festa para vender drogas. O morador de bem também não tolera e não aceita esses bailes. Recebemos vários elogios e agradecimentos de moradores”, justificou.



Últimas de Rio De Janeiro