Leonardo Picciani defende anulação de delação premiada de Júlio Camargo

Para o líder do PMDB na Câmara, empresário mudou teor das declarações em diferentes depoimentos que foram prestados

Por O Dia

Rio - Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani diz que o acordo de delação premiada do empresário Júlio Camargo — autor da acusação contra Eduardo Cunha — deveria ser anulado. Isto porque ele mudou o teor de suas declarações em diferentes depoimentos. Ao fazer esse tipo de trato, o delator se compromete a falar a verdade.

Picciani frisa que, antes de citar Cunha como envolvido no caso Lava Jato, Camargo, por três vezes, negara saber de recebimento de propina por algum político com mandato.

Consulta
Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras que está em prisão domiciliar, foi, quarta, ao Condomínio Barra Prime para uma consulta médica.

Vaia aérea
Dilma leva culpa até por conta de seu avião. Ontem, passageiros de voo da Azul que vinha de Belo Horizonte com destino ao Santos Dumont vaiaram a presidenta ao saber que seu pouso fora retardado por razões de segurança, já que o Airbus presidencial estava no aeroporto.

Capim
Os cavalos da PM não vão passar fome: a corporação prevê gastar R$ 975 mil na compra de capim. A verba garante comida por um ano.

Apagão
Pezão ficou irritado com a decisão da Ampla de cortar a luz de órgãos do governo no interior. Afinal, a concessionária deve ao estado um dinheirão em multas. Ontem, a direção da empresa tentou botar panos quentes na história.

Pernas de fora
Um contribuinte de 67 anos foi barrado, esta semana, num posto da Secretaria Municipal de Transportes na Rua Riachuelo, onde fora recorrer de uma multa. Tudo porque usava bermuda, traje quase oficial do carioca. 

Últimas de Rio De Janeiro