Vereador quer CPI para investigar contrato entre Orla Rio e Prefeitura

Explosão no Posto 4, em Copacabana, e várias irregularidades encontradas motivaram Márcio Garcia (PR) a fazer o pedido

Por O Dia

Rio - O contrato de concessão e permissão do uso dos postos de salvamento e dos 309 quiosques da orla entre a Prefeitura do Rio e a Orla Rio pode ser alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). A motivação do vereador Márcio Garcia (PR), que fez a solicitação nesta terça-feira à Mesa Diretora da Câmara, foram as diversas irregularidades encontradas nos postos de salvamento desde 2013 e a explosão do Posto 4, no bairro de Copacabana, no dia 26 de julho.

VEJA MAIS

Explosão no Posto 4, em Copacabana, deixa dois salva-vidas feridos

Acúmulo de gás pode ter causado explosão no Posto 4, em Copacabana

No acidente, o cabo Bruno Morais de Mello e outro militar identificado apenas como cabo Corrêa estavam no interior do posto no momento da explosão. Mello foi menos afetado por queimaduras, mas o cabo Corrêa teve 60% do corpo queimado. Ambos permanecem internados. Também no documento em que pede a abertura da CPI, o vereador afirma que a Orla Rio possui uma dívida com a prefeitura, que já foi negociada, mas que segue aberta.

Últimas de Rio De Janeiro