Apontado como braço direito de Playboy, Jean Piloto morre em hospital

Ele foi levado com vida ao Hospital de Acari após ser baleado no peito no Morro da Quitanda, mas não resistiu aos ferimentos

Por O Dia

O procurado Jean Piloto%2C segundo o delegado%2C no FacebookReprodução

Rio - Apontado como braço direito do traficante Playboy e o maior assaltante de roubo de cargas do estado, Jean Raynne da Silva Andrade, o Jean Piloto, morreu no Hospital de Acari após ser baleado no peito durante tiroteio na tarde desta quinta-feira no Morro da Quitanda, no Complexo da Pedreira, Zona Norte do Rio. De acordo com a Polícia Civil, ele foi alvejado após entrar em confronto com policiais da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) e da DRFC (Delegacia de Roubos e Furtos de Carga) . Piloto foi levado, em choque, ainda com vida ao hospital. A equipe médica tentou reanimá-lo, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu cerca de 20 minutos após dar entrada na unidade.

Em entrevista coletiva concedida na noite desta quinta-feira na Cidade da Polícia, em Benfica, na Zona Norte, o delegado da DRFC Marcelo Martins afirmou que Jean Piloto havia cometido mais um assalto pela manhã, horas antes de ser morto. “A preferência do bandido era roubar caminhões que transportavam cigarros. Hoje, ele roubou um frigorífico em Itaguai”, afirmou o delegado Maurício Mendonça, da DRFC.  A ação em Itaguaí foi feita com a participação de Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat, sucessor de Playboy na facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA), que ficaria responsável pelas drogas e Piloto só por roubo de cargas.

Segundo o delegado, a morte de Playboy e de Piloto representa uma redução significativa nos roubos de cargas, principalmente, próximo ao Complexo da Pedreira. “Era o Piloto que comandava os bondes de criminosos por ordem de Playboy”, explicou. O delegado investiga a participação de funcionários de empresas de transporte de cargas que mantinham contato com o bandido. “Eles repassavam as informações sobre o trajeto dos caminhões para o Piloto”, afirmou Mendonça. Segundo a polícia, depois do assassinato de Playboy, ele abandonou área central da Quintanda e passou a ocupar imóvel onde foi morto.

"Queridinho" de Playboy

Considerado como o ‘queridinho’ de Playboy, Jean Raynne da Silva Andrade, o Jean Piloto, era um dos alvos da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, apontado como líder de um grupo de assaltantes, que praticam todos os roubos de cargas na região. O bandido ganhou esse apelido por ter grande habilidade para pilotar veículos. Era ele quem mais roubava cargas nas proximidades da Pedreira e era homem de confiança de Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy. Jean era especialista em fugas de carro e moto. Ele era o piloto do chefe do tráfico”, afirmou o delegado titular da DRFC, Marcelo Luiz Santos Martins, que na noite de terça-feira apreendeu drogas e um fuzil M1 na Pedreira. Arafat conseguiu fugir com outros criminosos.

Ainda segundo ele, que acredita na redução temporária dos roubos de carga, o criminoso era tão audacioso que mantinha uma página nas redes sociais aberta e de livre acesso. Nela, Jean Piloto falava em vingar a morte de Playboy. No site Procurados, constava uma recompensa de R$ 2 mil para quem informar seu paradeiro.

Últimas de Rio De Janeiro