Polícia prende em SC acusado de ser um dos chefes do Comando Vermelho

Paulo Muleta estava em um flat perto do mar em Balneário Camburiú

Por O Dia

Rio - Apontado como um dos chefes do Comando Vermelho (CV) e ‘zero-um’ da quadrilha que domina as bocas de fumo do Complexo do Lins, Paulo César Souza dos Santos, o Paulo Muleta ou PL, de 44 anos, foi preso nesta sexta-feira por policiais da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) bem longe da comunidade da Zona Norte do Rio. Os agentes o surpreenderam em um luxuoso flat alugado por ele para passar as festas de fim de ano com a família, em Balneário Camboriú, um dos locais mais caros e badalados do litoral de Santa Catarina. Contra o bandido, que já tinha 25 anotações em sua ficha, foram cumpridos sete mandados de prisão por tráfico de drogas e organização criminosa.


Acusado de chefiar o Comando Vermelho foi preso em um flat em Balneário CamburiúDivulgação

O apê onde o chefão estava fica na quadra da praia e tem vista pro mar. O imóvel, com três quartos, sendo uma suíte, é muito bem equipado com móveis e eletrodomésticos de luxo. Segundo as investigações da Dcod, o criminoso ocupava o flat há três dias e pagou R$ 10 mil pelo aluguel até o Réveillon. Agora, vai curtir a virada do ano na cadeia.

Quarto de flat onde Paulo Muleta estava%3A conforto perto do marDivulgação

"A Polícia Civil do Rio vai atrás desses chefes do tráfico onde quer que eles estejam para levá-los à Justiça", afirmou o delegado Antenor Lopes Martins, titular da especializada. A ação desta quinta-feira contou com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina, através da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Vista de flat onde acusado estava, na área nobre de Camburiú%2C perto do marDivulgação

De acordo com o delegado, PL aparece em um vídeo que mostra vários traficantes da quadrilha conhecida como “Bonde do Lins” desfilando pela comunidade da Zona Norte e ostentando armas. Na gravação, feita em 2013, o único desarmado era Paulo Muleta, que ganhou esse apelido por mancar da perna esquerda.

Segundo a polícia, o bandido estava foragido desde 2010 e deixou o Lins após a instalação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), em 2013. Ele passou os últimos dois anos e meio em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde usava nome falso e dizia ser empresário.

“Mesmo de longe, Paulo Muleta continuava controlando o tráfico no Complexo do Lins, além de dez favelas na Baixada Fluminense (em Caxias e São João de Meriti) e da Formiga, na Tijuca”, disse o delegado Antenor Lopes.

Investigado há dois anos

O delegado Antenor Lopes já monitorava os passos de PL há dois anos, mesmo tempo da investigação do “Bonde do Lins”, iniciada quando o delegado ainda estava na 25ª DP (Engenho Novo). O criminoso não resistiu à prisão.

Não havia armas no apartamento. Os agentes da Dcod apreenderam o carro que o criminoso usava, um Kia Sportage prata, que estava estacionado em frente ao flat. PL deverá ser trazido para o Rio hoje e encaminhado para o Complexo de Gericinó.












Últimas de Rio De Janeiro