Polícia investiga se ambulante foi espancado no Leme

'Fiquei todo ensanguentado e caído no chão. Nem me socorreram. Não podiam me agredir em hipótese alguma'

Por O Dia

Rio - Um suposto caso de espancamento envolvendo agente da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) e um vendedor ambulante será investigado por policiais da 12ª DP (Copacabana). A confusão ocorreu no dia 31, às 16h, na Rua General Ribeiro da Costa, no Leme, na Zona Sul do Rio.

De acordo com o ambulante Gilmar da Mota Medeiros, de 42 anos, ele, a esposa, dois filhos e parentes arrumavam garrafas de cerveja, água e refrigerante em isopores, quando foram abordados por agentes da Seop. Na primeira ação, eles tiveram produtos apreendidos. “Já na segunda, dez minutos depois, voltaram e tentaram apreender outra parte da mercadoria. Me recusei a dar os produtos inteiros e quebrei parte do isopor. Daí, começou a violência”, lembrou Gilmar, que ainda tem curativo dos pontos na cabeça. Em vídeo gravado por parentes, ele aparece inconsciente e ensanguentado no chão, enquanto agentes observam, sob protestos de pessoas.

Imagem de vídeo gravado por parentes mostra Gilmar já caídoReprodução

Ainda segundo ele, toda a mercadoria seria vendida na virada do ano. “Fiquei todo ensanguentado e caído no chão. Nem me socorreram. Não podiam me agredir em nenhuma hipótese”, disse.A Seop informou que o incidente ocorreu após a reação do ambulante à fiscalização e que os próprios fiscais encaminharam o caso à delegacia. Será apurado se houve excessos por parte dos agentes.

Últimas de Rio De Janeiro