Guias de ônibus distribuídos na Novo Rio estão desatualizados

Turistas sofrem com sugestões de linhas já extintas. Mapa da Riotur também não traz nenhum telefone ou página na Internet

Por O Dia

Rio - Se está difícil para o carioca entender as mudanças nas linhas de ônibus do Rio, imagina para o turista que optou usar a tabela de transportes desatualizada da Riotur, incluída em mapas distribuídos em vários pontos turísticos do município. O guia, que antes era amigo fiel dos visitantes da cidade, contém uma série de erros por conta da racionalização dos ônibus determinada pela Prefeitura do Rio, desde agosto de ano passado.

Os casos mais críticos são justamente as sugestões de ônibus para Copacabana. No material, as opções oferecidas para quem vai do Centro ao famoso bairro da Zona Sul são as linhas 121, 123 e 124, que foram extintas.

Turistas estrangeiros fazem a festa no hostel El Mist%2C localizado no Morro da Babilônia%2C no Leme%2C Zona SulDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Confusão também para quem segue de Ipanema e Leblon para o Maracanã, já que as linhas apresentadas como alternativa — 456, 457, 464, 435 e 434 — foram encurtadas, indo somente até Botafogo ou Siqueira Campos, em Copacabana.

Para o Pão de Açúcar, também há opções de ônibus erradas. Dos sete bairros que, em tese, são contemplados com transporte direto, apenas a linha que liga a Urca ao Centro está correta, o que pode deixar turistas de toda a Zona Sul dormindo no ponto, literalmente.

Nem o Cristo Redentor, maior cartão postal carioca, foi perdoado. Se a referência for Jardim Botânico, Copacabana, Ipanema e Gávea, não há um ônibus listado que esteja certo.

Além das indicações erradas, as poucas linhas que receberam o asterisco de “operando temporariamente”, inclusive legendado em inglês, foram eliminadas da rede viária em maio de 2014. O guia também não traz nenhum telefone da Riotur ou página na internet, o que poderia servir para uma possível consulta do público.

A Secretaria Municipal de Turismo justificou que, por serem produzidos em larga escala, os mapas distribuídos nos estandes da Riotur ainda não trazem as mudanças nas linhas de ônibus.

O órgão informou ainda que o material foi impresso para a Copa do Mundo, há quase dois anos, mas será devidamente atualizado para atender os turistas nacionais e estrangeiros que visitarem a cidade durante os Jogos Olímpicos, em agosto.

Bondinho do Cristo e hostel lotados

O Rio de Janeiro está recebendo cerca de 1 milhão de turistas no Carnaval, injetando aproximadamente R$3 bilhões na economia da cidade, segundo o secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello. Ontem, 11 navios atracaram no porto da cidade, nove deles com turistas apenas para visitar o Cristo Redentor, levando em média 47 ônibus ao monumento. Desde cedo, os bondinhos que saem da estação do Corcovado ficaram lotados. “É a primeira vez que venho ao Brasil. O visual é lindo, fiz muitas fotos e fiquei emocionada”, conta a americana Susan Garza, de Chicago.

Com a cidade repleta de turistas, a procura por hostels aumentou. Pesquisa feita pela Accarj (Associação de Cama e Café e Albergues do Estado do Rio de Janeiro) mostrou que os 47 estabelecimentos associados, incluindo aqueles instalados em comunidades, estão com taxa média de ocupação de 95%.

Localizado no Leme, Zona Sul da cidade, o hostel El Mist está com 100% de sua ocupação, somando 110 hospedes. Os argentinos Fernando Rizzo, 23 anos, e Alfredo Morbelli, 23, contam que encontraram o hostel na internet. “O preço é mais baixo. As pessoas se conhecem melhor e ficamos mais à vontade”, diz Fernando.

Últimas de Rio De Janeiro