Em depoimento, bombeiro nega ter feito orgia com casal dentro de quartel

Cabo admitiu desvio, mas disse que fotos são montagens

Por O Dia

Rio - Foram ouvidos pela juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Justiça Militar, o cabo do Corpo de Bombeiros e o sentinela do 4º Grupamento da corporação, de Nova Iguaçu, cenário de uma orgia com o casal praticado pelo primeiro. O segundo teria dado cobertura ao "desvio" do colega.

Em depoimento, o bombeiro que se intitulava "Dotadão", negou ter feito sexo dentro do quartel, mas admitiu ter praticado o ato nas proximidades do local, em seu carro. Segundo ele, a saída do 4º GBM aconteceu por volta das 23h, "mas não demorou muito".

O acusado disse ainda que se reconheceu nas fotos fardado, mas não sabe dizer onde as imagens foram feitas, alegando que a presença de carros da corporação nas fotografias se trata de uma montagem.

Bombeiro é acusado de fazer orgia em quartel com casalReprodução

O sentinela afirmou que viu o amigo sair por volta das 22h, voltando cerca de 20 minutos depois, para um lanche. O soldado informou ainda que tem o hábito de anotar as entradas e saídas no quartel, mas que não encontrou a anotação do veículo do acusado.

Segundo ele, quem autoriza a movimentação dentro da unidade é o ofical de dia, que estava descansando na data. O sentinela, então, autorizou a saída do colega, "na camaradagem".

O vigia ressaltou que não permitiu a entrada de nenhum casal nas dependências do quartel, mas informou que os dois podem ter entrado sem ele ter visto. Sobre o caso, o sentinela afirmou que ficou das 22h às 0h na porta do 4º GMB e, de onde estava, não tinha visão de onde o amigo estacionou o carro e confirmou que ouviu apenas boatos sobre o acontecido.

Uma nova audiência está marcada para o dia 1 de julho, para ouvir novas testemunhas. O blog Justiça e Cidadania publicou o caso, com exclusividade, no dia 16 de abril.

Últimas de _legado_Rio