Jeitinho de driblar a crise

Empreendedores da Baixada estão vencendo os problemas causados pelo aperto na economia

Por O Dia

Com imaginação, determinação e habilidade é possível driblar a crise. Foi assim que Vinícius Domingos, 26, de Nova Iguaçu, deu início a Bilie Brownie. Recém- formado em Engenharia de Produção e sem emprego, ele se viu obrigado a usar a criatividade. "Estava desempregado e depois de três meses tinha apenas R$35, foi quando tive a ideia de fazer os brownies.Fiz para os amigos e todos gostaram, vi que poderia virar um negócio", conta. Os doces são fornecidos para casamentos, aniversários, batizados e restaurantes.

Vinícius criou a Billie Brownie e comemora o sucessoEstefan Radovicz / Agência O Dia

Os brownies ganharam um sabor a mais pois têm recheios variados. "Foi um diferencial e tem dado certo! Em breve farei a versão diet, ampliando o mercado", conta.

A economia criativa é uma poderosa vertente do empreendedorismo, seja como fonte de renda principal ou como uma alternativa.É o caso de Desirré Gomes, 22, e Filipe Moreira,20, que moram em Mesquita.Eles decidiram vender chinelos personalizados e criaram sua própria marca, 'Os desejados', para ampliar o orçamento. “Os momentos de dificuldades econômicas tem sido o berço de ótimos negócios. Enquanto todos estão desanimando e se deixando levar pelo derrotismo, alguns empreendedores veem a oportunidade para começar seu negócio. O empreendedor é aquele que inicia algo novo e vê o que ninguém vê”, afirma o coordenador Regional do Sebrae/RJ Baixada I, Décio Lima.

Jovens empreendedores usam a criatividade e descobrem como sair da crise RENATO FONSECA

Felipe Barth, 26, e o sócio, Rennan Costa,28, há seis meses vendem acessórios femininos na loja online Latrice. "Pedi demissão do meu emprego porque com esta crise o salário foi ficando cada vez menor, decidi ter meu próprio negócio e ganhar dinheiro para mim", afirma.Keline Corrêa, 30,de Belford Roxo, faz trabalho artesanal com feltro há dois meses." Comecei a fazer artesanato com o feltro e graças a Deus já estou até pagando algumas despesas em casa, a gente se vira como pode", conclui a artesã.

Mercado virtual tem vantagens

A onda dos negócios em rede está cada vez mais popular. As vantagens são muitas: investimento inicial mais baixo, não precisa montar uma loja física, está disponível 24 horas, a manutenção é mais barata e alcança muito mais consumidores. E foi por isso que a produtora cultural de Nova Iguaçu, Mayara Barbosa,25, criou a loja virtual Colorê Acessórios, há quase dois anos. “A ideia era aumentar a renda fazendo algo que eu gosto, mas acabei perdendo o emprego e me dediquei à loja.Deu certo! Tenho planos de ampliá-la, mas me mantendo como loja virtual”, enfatiza.

Dicas para o empreendedor

Mantenha-se sempre bem informado e fique atento, sabendo o que está acontecendo ao seu redor no mercado onde você atua;

Aplique seu conhecimento na experiência, ou seja, no seu trabalho. Através disso, você, frequentemente, identificará um conhecimento que está faltando para crescer profissionalmente. Suba de degrau em degrau;

Estude bastante. Leia quantos livros puder. Some conhecimento, faça cursos ou uma faculdade. Mas lembre-se: tenha sempre um estudo direcionado ao seu objetivo. Estude algo que vai de fato contribuir diretamente para aquilo que você está fazendo.


Reportagem de Aline Cavalcante

Últimas de _legado_O Dia na Baixada