CPI pede corte de verbas de consórcio que armazenava remédios vencidos

Deputados querem impedir empresa de participar de licitação e receber pagamento

Por O Dia

Rio - A LogRio — consórcio responsável pelas 300 toneladas de remédios vencidos encontrados na última segunda-feira em Niterói — pode ter a verba cortada e deixar de participar de licitações. Foi o que pediram ao governo do estado nesta quinta-feira os deputados da Comissão de Orçamento da Alerj, em audiência pública.

Ao todo já são mil toneladas de medicamentos vencidos encontradas na Central Geral de Abastecimento (CGA), em Niterói. Desse total, 700 foram incineradas.

Fiscalização encontra 300 toneladas de remédios vencidos em depósitoDivulgação

Os parlamentares também querem que o valor das mil toneladas toneladas de remédios seja abatido da dívida estadual com o consórcio. “Pelo levantamento preliminar feito pela comissão, a dívida que o estado tem com essas empresas gira em torno de R$ 39 milhões. Se isso puder ser abatido, já significa um avanço para que as contas públicas respirem um pouco”, disse o presidente da comissão, deputado Pedro Fernandes (Solidariedade). Representantes das empresas serão chamados para esclarecer, na quarta-feira, como funciona a gestão da CGA.

Últimas de Rio De Janeiro