Ato reivindica pagamento de salários e melhores condições de trabalho na Uerj

Manifestação será realizada na porta de universidade pública da Zona Norte da cidade nesta segunda-feira. Há contratados com salários atrasados desde outubro

Por O Dia

Rio - Contratados, professores, técnico-administrativos e bolsistas realizam uma manifestação, em frente à entrada principal do Campus Maracanã da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na Zona Norte, nesta segunda-feira, a partir das 17h. Denominado #UerjResiste, o ato é contra as precárias condições de trabalho às quais funcionários estão submetidos e reivindica, entre outras coisas, o pagamento dos salários de funcionários da Policlínica Piquet Carneiro (PCC), que estão sem receber há cinco meses.

De acordo com as informações, devido ao atraso no pagamento, funcionárias constratadas estão enfrentando uma série de dificuldades econômicas. Muitas não têm condições sequer de se deslocar ao trabalho, sustentar os filhos e pagar aluguel. Não bastasse a situação constrangedora, no contracheque das contratadas consta que pagamentos e férias estão em dia.

Segundo as funcionárias, a única maneira de comprovar que não estão recebendo é demonstrando que os depósitos não foram realizados nas contas salário. "A informação que a gente sempre tem quando vai conversar com o diretor é o que o pagamento vai cair. Só que (...) a gente já está cansada, porque é muito tempo prometendo pagamento e nunca consegue receber”, relatou uma das contratadas, que não quis se identificar.

Outra contratada, que também preferiu não ser identificada, contou as dificuldades financeiras que têm enfrentado. “Tenho uma filha de um ano e minha mãe que está me ajudando com o leite dela. Meu marido é quem está segurando a passagem, tudo em relação à minha filha. Eu não tive como comprar para ela uniforme, as poucas coisas que pedem na creche dela e coisas de bebê como fralda”, contou a trabalhadora.

VÍDEO: Terceirizadas da Policlínica Piquet Carneiro denunciam condições de trabalho

Contratadas do restaurante universitário são demitidas

Nesta semana, a situação de mais um grupo de contratadas se agravou. As funcionárias do restaurante universitário, que também estavam com salários atrasados há meses, foram demitidas na última terça-feira. O motivo teria sido a decisão da empresa terceirizada responsável pelo restaurante em não renovar o contrato com a Uerj, segundo a assessoria de imprensa da universidade.

Últimas de Rio De Janeiro