Sem verba, programa de proteção a jovens ameaçados no Rio corre risco de fechar

Convênio do governo com a ONG responsável por gerir o serviço não poderá ser renovado caso o estado não quite a dívida de R$ 360 mil que tem com a organização

Por O Dia

Rio - O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte no Estado (PPCAAM), no qual a vítima de estupro coletivo na Praça Seca foi inserida, corre o risco de fechar por falta de verba.

O convênio do governo com a ONG responsável por gerir o serviço vence dia 26 e não poderá ser renovado caso o estado não quite a dívida de R$ 360 mil que tem com a organização.

Desde 2015, 50 pessoas foram inscritas no programa, que pertence à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.  

Acompanhamento

A não renovação do convênio impede que crianças e adolescentes venham a ser beneficiados pelo PPCAAM, mas não afeta os já inscritos. Além de proteção, o programa oferece acompanhamento jurídico e psicológico.

Explicações

Secretário estadual de Fazenda, Julio Bueno tem um longo dia pela frente. Depois do encontro previsto com representantes do governo federal em Brasília, visitará bancos de fomento para os quais o governo atrasou pagamentos referentes a empréstimos. Dirá que o arresto de R$ 768 milhões pela Justiça foi determinante para que o estado não conseguisse honrar as parcelas.

Périplo

Hoje ele conversa com representantes da Corporação Andina de Fomento e da Agência Francesa de Desenvolvimento. Nos próximos dias, irá também ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).

Festa cancelada

A prefeitura de Itaguaí cancelou a Expo-2016 devido à crise econômica no país. Prometeu utilizar os recursos em obras nas escolas e na reestruturação do Hospital Municipal São Francisco Xavier, entre outras. A conferir.

Últimas de Rio De Janeiro