Informe: Metrô Rio entra na Justiça contra reajuste do contrato com estado

Agetransp constatou um desequilíbrio de R$ 198 milhões que prejudicaria o governo. Cálculo levou em conta operação do metrô entre 2007 e 2012

Por O Dia

Rio -  O Metrô Rio entrou na Justiça contra a decisão da Agetransp de reajustar o contrato com o governo estadual: a agência reguladora constatou um desequilíbrio de R$ 198 milhões que prejudicaria o estado. O cálculo foi feito levando-se em conta a operação do metrô entre 2007 e 2012. Juiz da 9ª Vara de Fazenda Pública, Marcello Alvarenga Leite não aceitou os argumentos da concessionária: “O ato administrativo possui presunção de legitimidade, inexistindo nos autos qualquer documento capaz de afastá-la”. Com isso, o Metrô Rio terá que aplicar os R$ 198 milhões na compra de novos trens e na modernização do sistema.

Segunda instância

O Metrô Rio, que entrou com ação de “nulidade de ato administrativo”, ainda pode recorrer da decisão.

Pediu para sair

Assessor com livre acesso ao gabinete de Sérgio Cabral desde os tempos de deputado na Assembleia Legislativa, Ary Ferreira Filho pediu ontem para ser exonerado do gabinete do governador Pezão.

Operações suspeitas

Mês passado, o site da revista Veja publicou reportagem que liga Aryzinho, como é conhecido, a uma imobiliária que teria participado de operações suspeitas envolvendo Cabral. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectou R$ 101 milhões movimentados nestas condições. 

Sem resposta

O Palácio Guanabara não soube informar se Ary, que além de ocupar cargo de confiança é concursado da Secretaria de Fazenda, será realocado em outra função no governo.

Agilidade na transição

Pedro Paulo Carvalho (PMDB) prometeu a integrantes da equipe de transição de Marcelo Crivella (PRB) agilizar a liberação de funcionários da prefeitura para que atuem nas tarefas. Viagens de Eduardo Paes ao exterior vinham retardando os trabalhos.

Esportes

Ex-secretário de Esportes de Paes, Marcos Braz, ligado a Romário, é carta fora do baralho para assumir a secretaria na gestão de Crivella. A vaga deve ficar com Márcio Barbosa, que também tem vínculo com o ex-jogador. 

Itaguaí

A eleição para a presidência da Câmara de Itaguaí é só em fevereiro, mas a disputa já está pegando fogo. Prefeito eleito, Charlinho (PMDB) teve que apartar uma acalorada discussão entre os vereadores Carlos Kifer (PP) e Nisan (PSD). Os dois quase chegaram às vias de fato.

Últimas de Rio De Janeiro