Reclamar Adianta: Servidor será indenizado

Banco foi condenado pelo Tribunal de Justiça RJ a pagar indenização de R$ 8 mil por danos morais

Por O Dia

Rio - Justiça determina que servidor seja indenizado por cobrança indevida do Banco BMG, já que teve que pagar duas vezes por um contrato de empréstimo consignado. O banco foi condenado pelo Tribunal de Justiça RJ a pagar indenização de R$ 8 mil por danos morais, mais a devolução em dobro da parcela que o servidor público Antônio Gabriel de Oliveira Alvarez teve que pagar duas vezes por um contrato de empréstimo consignado.

O empréstimo que Antônio Alvarez fez tinha se encerrado em março de 2016, mas mesmo assim, o servidor percebeu que estava negativado pelo banco depois que seus cartões de crédito foram cancelados em maio. O réu alegou que uma parcela não tinha sido paga e manteve a negativação enquanto o servidor não quitasse, ainda que Antônio tivesse enviado todos os comprovantes de pagamentos descontados em seu contracheque.

Só buracos!

A Rua Quintino Joaquim da Silva é concretada há mais de 30 anos e está soltando placas de concreto. A situação é pior em frente aos números 29, 30 e 31. Nossa rua está em péssimo estado de conservaçãoMaria Auxiliadora da Costa Pereira - Tribobó, SG.

A demanda foi encaminhada para o Departamento de Conservação e Obras. Uma equipe será enviada ao local para avaliar a situação e tomar as devidas providências. Assessoria de Comunicação Prefeitura de São Gonçalo.

"Planejamento e orçamento são palavras de ordem para quem vai casar, para começar a vida a dois sem preocupações e ou brigas por dinheiro", diz Reinaldo Domingos%2C Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).Divulgação

Tudo resolvido!

Quero agradecer ao Átila Nunes e à sua competente equipe do Reclamar Adianta, pela imediata solução dada ao problema do meu pacote Net Combo. Recebi uma ligação da Net, dando uma solução compatível com o que eu havia pleiteado. Sendo assim, agradeço a eficiente ação de todos vocês, profissionais sérios e competentes. Gláucia Pessoa Barros, Cachambi

Iluminação pública

Moro na Rua Treze de Maio, Vila São Luiz, em Duque de Caxias. Há dois meses estamos reclamando sobre várias lâmpadas queimadas nesta rua. Já entramos em contato com a prefeitura e nenhuma providência é tomada. Só a cobrança da taxa de iluminação pública é que continua chegando! Julio César de Santana, Vila São Luiz – Duque de Caxias

A Prefeitura de Duque de Caxias informa que enviou uma equipe de manutenção para fazer a substituição das lâmpadas queimadas. Informa, ainda, que mantém a disposição da população o telefone 2676-9099 para solicitação de troca de lâmpadas. O serviço funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 17h. Assessoria de Comunicação Prefeitura de Duque de Caxias

Linha muda

A linha Oi fixo da minha sobrinha Cristina está muda desde o dia 28/04. Por isso não conseguimos nos falar. Já fizemos várias reclamações à Oi, mas o problema não é resolvido. Peço ajuda! Hilda Cunha Gonçalves, Tijuca

Em relação às clientes Senhora Hilda Cunha e Senhora Cristina, foram feitos contatos no dia 8 de maio onde as mesmas informaram o pleno funcionamento da linha de telefone fixo para o qual foi solicitado o serviço de reparo. Assessoria de Imprensa Oi

Dúvidas Frequentes

Gilberto J.R.B Júnior%2C advogado%2C contabilista e sócio da Bento Jr. AdvogadosDivulgação

Gilberto J.R.B Júnior, advogado, contabilista e sócio da Bento Jr. Advogados

Em época de demissões crescentes, a estabilidade preocupa os trabalhadores. É importante entender situações que proporcionam estabilidade: estabilidade pré-aposentadoria — De 12 ou 24 meses antes da aposentadoria, o trabalhador não pode ser dispensado sem justa causa; Estabilidade pré-dissídio — Muitas categorias asseguram estabilidade de 30 dias antes da data base da convenção coletiva; Acidente de trabalho — garantida por 12 meses, a manutenção do seu contrato de trabalho; Gestação — é proibida a dispensa sem justa causa desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto; Documento coletivo da categoria — garantido em cláusula no documento coletivo. Não foram consideradas situações de eleições sindicais e outras correlatas, sendo tratados apenas casos comuns a todos os trabalhadores de todos os tipos de empresas.

Coluna de Átila Nunes

Últimas de Rio De Janeiro