Pessoas em situação de rua vão trabalhar no Rock in Rio

Festival contratou oito dos 15 alunos de um projeto da Defensoria Pública voltado à capacitação e à empregabilidade de pessoas em situação de rua

Por O Dia

Rio - Em tempos de crise e desemprego, a boa notícia: tem oportunidade em vista para os 15 alunos da segunda turma do projeto Resgate, iniciativa da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) e da secretaria municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação voltada à capacitação de pessoas em situação de rua para o mercado de trabalho. Com a formatura dos participantes nesta quarta-feira, foram disponibilizados a eles certificado, carteira de trabalho e currículo impresso, além de oito vagas para o Rock in Rio e mais sete para entrevista em outros locais, sendo algumas nesta quinta (27) e as demais nos próximos dias.

Com a camisa do festival em mãos, os oitos alunos contratados para o Rock in Rio também saíram da formatura, juntamente com os colegas de turma, portando um currículo atualizado por conhecimentos adquiridos ao longo das quatro aulas previstas no projeto e cuja parte pedagógica fica a cargo da secretaria.

Pessoas em situação de rua vão trabalhar no Rock in RioSeverino Silva / Agência O Dia

Entre os temas abordados nos encontros estão noções básicas de direitos e deveres em sociedade, postura profissional, higiene pessoal, espírito de equipe e até como conviver com sentimentos variados no mercado de trabalho.

"A contratação das pessoas em situação de rua para o Rock in Rio é algo muito importante, primeiramente, porque vai dar visibilidade ao tema e, em segundo lugar, porque quebra o estigma de que pessoa em situação de rua não quer trabalhar e também quebra o preconceito social em andamento na cidade", destaca a defensora pública Carla Beatriz Nunes Maia, atuante no Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh) da DPRJ, que completa:

"Precisamos conscientizar a população em geral de que os índices de violência só serão reduzidos no momento em que o estado e os agentes públicos investirem no social, criando políticas de redução das desigualdades sociais", observou.

As aulas do Projeto Resgate são ministradas na Defensoria Pública para turmas mensais de cerca de 15 alunos, sendo que a formatura da primeira delas, com 12 participantes, foi realizada no dia 28 de junho. Na ocasião, sete pessoas em situação de rua saíram da solenidade empregadas na rede de supermercados Supermarket, onde atualmente atuam nas atividades de repositor, fiscal de salão e balconista do setor de laticínios.

Em um segundo momento, o projeto consiste no cadastro dos alunos, pela secretaria, em sites de emprego. Quando surge uma oportunidade, eles recebem uma carta de encaminhamento e seguem para a entrevista com o possível empregador.

Últimas de Rio De Janeiro