Morre cantor Ataulpho Alves Junior

Artista teve um ataque cardíaco no sofá de casa na noite deste domingo. Enterro do cantor será em um cemitério da Zona Oeste do Rio

Por O Dia

Rio - Morreu na noite deste domingo, aos 74 anos, o cantor e compositor Ataulpho Alves Junior. A causa da morte foi um enfarte, ocorrido quando o artista estava no sofá de casa na Glória, na Zona Sul do Rio.

O enterro do cantor será no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste, às 16h15, no jazigo perpétuo da família. O velório estava previso para o início da tarde desta segunda-feira. O artista era filho do também cantor Ataulfo Alves de Souza.

Cantor e compositor Ataulpho Alves Junior morreu aos 74 anos no RioCris Vicente / Divulgação

Amigos e fãs usaram as redes sociais para se despedir do cantor. "Mais uma grande perda para o mundo do samba...Sem palavras para descrever...Ontem, dia da nossa Roda... Tanta alegria... E hoje a noite a tristeza invade...Apenas agradeço ao Padrinho Ataulfo por todos os momentos que pude viver ao seu lado, agradeço por todos os conselhos e carinho", escreveu uma das responsáveis da roda de samba Sambastião, da qual Ataulpho era padrinho.

Em 40 anos de carreira, gravou cerca de 20 discos, e em 1976 veio o seu maior sucesso: Os Meninos da Mangueira. Ele era filho do também cantor e compositor mineiro Ataulfo Alves (1909-1969), de quem administrava um legado de mais de 120 canções.

Ataulpho Alves Junior estreou nos palcos em 1963, no Teatro Record, em São Paulo, no "Programa Bossaudade", de Elizeth Cardoso, sua madrinha artística. Entre 1963 e 1969, trabalhou com o pai em shows por todo o Brasil. Ainda em 1969, gravou seu primeiro disco, um compacto simples pela gravadora Continental — segundo o Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira

Em 1976, gravou seu primeiro grande sucesso, Os meninos da Mangueira (Rildo Hora e Sérgio Cabral). A música alcançou o 1º lugar nas paradas da época, abrindo caminho para outras canções do cantor, como Pedro Sonhador, Canto de Amor, A Bela da Tarde.

Nos anos 1990, fez turnês pela Europa, e em 1999, participou do projeto Discoteca do Chacrinha, gravado pela Universal/Polydor.

Em 2002, montou um show com Heitorzinho dos Prazeres, no qual reviveu mais de quatro décadas depois o conjunto Herdeiros do Samba, o primeiro grupo de sua carreira, com sucessos de Ataulfo Alves e Heitor dos Prazeres.

Em 2009, recebeu a comenda da Ordem do Mérito Cultural, concedida pelo Governo Federal.

Com informações do Estadão Conteúdo

Últimas de Rio De Janeiro