Atrasos nos investimentos e nas licitações das linhas intermunicipais

Nos últimos dois anos, percentual dos ônibus com ar subiu apenas de 48% para 53%

Por gabriela.mattos

Rio - Em janeiro de 2015, 47,9% dos ônibus intermunicipais do Estado do Rio tinham ar-condicionado. Dois anos depois, o índice evoluiu pouco: hoje é de 53%, segundo o Detro, somando os veículos urbanos e executivos. Em números absolutos, a frota passou a contar apenas com mais 547 carros refrigerados: eram 3.538, e agora há cerca de 4.085.

Os 1,8 milhão de passageiros que utilizam o serviço diariamente poderiam estar viajando mais “refrescados” se a licitação das linhas prometida pelo governo estadual em 2015 tivesse sido realizada. Como revelou O DIA ontem, a universalização da frota com ar-condicionado seria uma das exigências às empresas concorrentes. No entanto, o leilão de concessão, prometido para aquele ano, não saiu até hoje.

Licitação para a concessão das linhas foi prometida desde 2015Estefan Radovicz / Agência O Dia

A licitação foi uma exigência do Banco Mundial na ocasião em que concedeu um empréstimo de US$ 500 milhões ao Rio, concluído em janeiro de 2016, para vários projetos, incluindo a renovação da frota de trens. Segundo o Banco, a contratação das linhas sob o regime de concessão estava prevista para fevereiro de 2015. A instituição está concluindo a avaliação do projeto e diz que o relatório final deve sair nos próximos meses.

A Fetranspor, que representa as empresas de ônibus, esclarece que as condições de financiamento e abertura de linhas de crédito se tornaram mais rígidas e escassas para a compra de ônibus nos últimos anos. Além disso, diz que as linhas intermunicipais perderam 10% da demanda ano passado e que os contratos atuais não preveem meta de climatização.

Últimas de Rio de Janeiro