Guapimirim lança projeto de adoção

Programa visa dar abrigo a crianças e adolescentes em situação de abandono ou risco social

Por O Dia

Guapimirim - A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Guapimirim estreia o programa Família Acolhedora. O projeto visa cadastrar famílias para que elas venham a abrigar, temporariamente, crianças e adolescentes em situação de abandono e/ou risco pessoal e social. Segundo a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Paula Machado, o projeto não é um programa de adoção convencional.

Ao contrário, os jovens ficam abrigados por, no máximo, seis meses. Depois, voltam para suas famílias biológicas ou substitutas. Durante a adoção, há ajuda de custa de um salário mínimo para as famílias adotivas. “Visamos garantir a convivência dos jovens em núcleo familiar com condições para elevar a autoestima”, esclarece a secretária.

Para se candidatar, é preciso ter mais de 25 anos, morar na cidade há pelo menos dois e não estar participando de processos de adoção. É necessário ter condições plenas de saúde, não ser dependente químico e nem possuir pendência judicial. A residência deverá ter quarto para a criança ou o adolescente, podendo o espaço ser dividido com outro menor da família. Solteiros ou casais homoafetivos também podem participar. “Tenho certeza que vários moradores vão querer abraçar a causa, acolhendo os jovens como se fossem seus filhos. É muito mais sadio do que a criança ou o adolescente fiquem em abrigo”, avalia Paula Machado, acrescentando que, hoje, o programa tem três famílias cadastradas.

Últimas de Rio De Janeiro