Esplanada: Chegou a vez de Michel Temer ter um 'chegado' seu na Corte Suprema

Casos de FHC e Lula na indicação de ministros do Executivo para o STF respaldaram a decisão de Temer na escolha de Alexandre de Moraes

Por O Dia

Brasília - O ex-presidente FHC criou o precedente com Gilmar Mendes. Lula da Silva cravou lá o Dias Toffoli. Chegou a vez de Michel Temer ter um ‘chegado’ seu na Corte Suprema.

Os dois casos dos seus antecessores na indicação de ministros do Executivo para o STF respaldaram a decisão de Temer na escolha de Alexandre de Moraes, titular da Justiça, para a vaga de Teori Zavascki.

O sistema do Brasil segue a linha dos Estados Unidos. Mas Peru e Guatemala, por exemplo, têm um modelo de escolha por conselho de notáveis do Judiciário e de entidades da sociedade, sem passar por decisão política.

Sem suspeição

Os casos de FHC, Lula e agora Temer fortalecem a tese dos que defendem urgência na alteração do sistema de escolha dos membros do Judiciário pelo Executivo.

Notório saber

Para o Judiciário, Moraes não é um extra-terrestre. Um livro do constitucionalista é um dos mais citados por ministros das Cortes e por advogados em processos no STF e STJ.

Desconversou

Na sexta-feira, Alexandre de Moraes cravou em conversa nos corredores do Palácio do Planalto: “Estou fora!”.

Tô fora

Michel Temer fez chegar ao senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) que o desejava ministro da Justiça. O tucano mineiro rejeitou.

‘Lava Jato’ em Vitória

A Polícia Federal no Espírito Santo não ficou passiva diante da onda de violência que se iniciou na grande Vitória. Mexeu nas cadeiras para cercar a bandidagem, e com gente experiente. Ex-coordenador da Lava Jato, delegado Marcio Anselmo será Corregedor da PF no Estado, onde Luciano Flores (o que conduziu Lula coercitivamente) já é o chefe regional há alguns meses.

Marcou território

Anselmo, que foi chefão da Lava Jato por um bom tempo, visitou Vitória e avisou a delegados e policiais da sua chegada. Outra ex-Lava Jato, Erika Marena virou a chefe da PF em Florianópolis.

Refúgio

O senador Fernando Collor tem visitado a cachoeira do Abade, em Pirenópolis, com a família, durante dias da semana, para fugir de assédio – ou ataques.

Alerta

O governador Marconi Perillo, de Goiás, anunciou R$ 4,1 milhões para o trade turístico. Foi lembrado de que o Parque Estadual dos Pirineus está sem segurança e com guaritas destruídas. E que o centro de convenções de Anápolis está parado há anos.

Greenpeace

O Greenpeace prepara a “mega mobilização” em frente ao Congresso em protesto contra o projeto do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), que libera a caça profissional no País. “É repugnante”, dispara o dirigente da entidade no Brasil, Márcio Astrini.

Caixa preta

Apesar de “Pública”, a Comissão de Ética da Presidência desliza na falta de transparência. As atas das duas últimas reuniões – dezembro e janeiro – não estão disponíveis para consulta. Apenas resumo da reunião do dia 21 de novembro.

Off

O portal da comissão também não oferece acesso ao andamento dos processos contra integrantes do governo.

Ponto Final

“Temer meteu um delatado da mesma Lava Jato num Ministério, nenhum áudio foi vazado, nenhum estardalhaço nas redes sociais e na mídia. Ninguém nas ruas mostrando indignação e Ministro Gilmar Mendes ficou caladinho”.

Do cantor e compositor esquerdista Tico Santa Cruz, em referência a Moreira Franco.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil