Henri Castelli não tem limites para o mal em ‘I Love Paraisópolis’

Ator interpreta Gabo, um vilão estiloso e sem escrúpulos, na trama que estreia hoje, às 19h, na Globo

Por O Dia

Henri Castelli no lançamento de 'I Love Paraisópolis'Paulo Belote/TV Globo

Rio - A bordo de um helicóptero, Gabo desce no meio da favela paulista de Paraisópolis para negociar uma parceria com a turma do tráfico local. A cena é emblemática e dá uma ideia do que é capaz o personagem de Henri Castelli em ‘I Love Paraisópolis’, nova novela das sete que estreia hoje na Globo. Com cabelo curto dos lados e figurino estiloso, o ator de 37 anos buscou referências em políticos brasileiros para dar vida ao vilão, sócio da mulher, Soraya (Letícia Spiller), na empresa de construção civil Pilartex.

“Ele é um cara que não tem tempo a perder. Se tiver que falar com traficante, ele fala. Faz de tudo para conseguir seus interesses. Não posso dizer os nomes, mas peguei referências fortes de dois políticos. Acho que alguma coisa o público vai descobrir. Tem inspiração ainda no personagem de Kevin Spacey no seriado ‘House of Cards’. É bem interessante o jeito como ele conduz a manipulação do poder, é meio cínico e, ao mesmo tempo, encantador. E Gabo faz a mesma coisa”, conta.

Henri Castelli prefere não rotular o personagem como mau-caráter. “Não sei como definir. Mas ele acha que não faz nada errado. Todo mundo tem um lado bom e um ruim. É um vilão urbano, verdadeiro, do tipo de pessoa que você encontra por aí”, diz o ator, que não se identifica com Gabo em nada. Nem no visual meio playboy. “Aquele corte de cabelo é bem diferente de mim, nunca usaria desse jeito.”

Na trama, escrita por Alcides Nogueira e Mario Teixeira, o ganancioso Gabo quer destruir Paraisópolis e ganhar dinheiro transformando o lugar em um grande empreendimento imobiliário. O que vai colocá-lo em conflito com o enteado, Benjamin (Maurício Destri), que possui um projeto de reurbanização da comunidade. O rapaz é filho de Soraya com seu irmão, morto em circunstâncias misteriosas. “Gabo e Soraya já eram amantes e se casaram depois que o irmão dele morreu. Mas não sabemos como foi a morte, se foram eles que mataram, não existe ainda nenhum indício”, explica.

Cúmplices nas maldades, Gabo e Soraya têm dois filhos e um casamento quente. “Ele gosta dela de verdade, mas é uma coisa bem carnal. O casal tem uma coisa de tesão, e interesses de negócios. Tem muito pega-pega, tapas e beijos. No meio de uma discussão rola uma vontade de se pegarem, de ficarem juntos”, entrega o ator, acrescentando que o humor permeia a relação dos dois. “Está bem divertido. Afinal, novela das sete é conhecida por ter uma leveza. Não vamos fugir disso.”

O ator e Letícia Spiller%2C que interpreta Soraya%2C parceira do vilão na empresa%2C na cama e nas maldades Zé Paulo Cardeal / TV Globo

Henri já está familiarizado com Paraisópolis, a favela onde se passa a trama das sete. Ele mora no Morumbi, o bairro nobre que fica junto à comunidade que tem mais de 100 mil habitantes. “Faz parte do meu cotidiano, eu frequento. Pra chegar em casa vindo do aeroporto, passo por dentro da comunidade. Tenho duas pessoas que trabalham comigo que moram lá”, diz ele, apostando no sucesso com os moradores. “Acho que o povo de lá vai adorar se ver na novela.”

A roupa usada pelo ator na novela foi desenhada pela namorada dele, a produtora de moda Diana Hernandez. “Gabo está sempre bem-vestido. Adorei o figurino. Tive que emagrecer um pouco porque os ternos são bem cortados na cintura. Se passar um pouquinho do peso, não entro na roupa”, admite.

Últimas de Televisão