Por pedro.logato

Rio - A torcida do Botafogo pode estar acostumada, mas não merecia viver mais uma noite de horrores. Ainda mais a galera que, em número razoável, compareceu a São Januário com a ilusão de que poderia incentivar um time que não justifica nada. Esse Botafogo lamentável só merece vaias, começando pelo lamentável presidente, que afundou o barco, passando por um comando técnico sem qualidade. Ontem, mais uma vez, não se pode reclamar da vontade dos jogadores (à exceção de Bolatti e Junior Cesar) mas da inacreditável ruindade da maioria. E acreditar que Jobson (foto) iria ser a salvação também foi uma furada — o pênalti perdido mostrou que a inatividade congelou o antigo talento. E quando o treinador escala Bruno Correa, Murilo e Mamute é porque a vaca já foi pro brejo. E para a Série B.

Botafogo está perto de ser rebaixado para a Série BErnesto Carriço

SEM VACILO

Após alguns vacilos inaceitáveis que deixaram a situação incerta para o G-4, o Fluminense não tem o direito de tropeçar hoje em casa contra a Chapecoense. Não importa a escalação que vai a campo — e a volta de Cícero é bem-vinda por tudo que mostrou no começo do campeonato. O time terá a seu lado a inegável superioridade e uma torcida grande que deve ajudar muito.

MILHÕES DO FLA

A diretoria do Fla prevê, com otimismo, que o clube vai faturar cerca de R$ 300 milhões em 2015. Se o departamento de futebol fica em torno de R$ 100 milhões, o que já é um absurdo, não dá para entender os prejuízos crescentes e a maior parte das dívidas sem pagamento. Há algo errado na contabilidade dos clubes ou, então, previsões delirantes.

SÓ O SUFICIENTE

Até que a torcida do Vasco encarou a visita noturna a São Januário para apoiar o time que já estava na hora de sacramentar a parada. E o Vasco fez um suficiente feijão com arroz sem tempero, ganhando do Vila Nova, um adversário medíocre e já rebaixado. Não sem antes levar sustos e fazer lambanças. Foi o tipo da festa com bebida de má qualidade.

SEM INTERESSE

O presidente da Ferj, Rubens Lopes, diz que não houve sugestões suficientes para mudar o Estadual. Os grandes se omitiram para não perder tempo já que nada seria mexido sem o enxugamento da competição. E Rubinho não quer perder votos para se reeleger. Com Eurico de volta, tudo volta no tempo e nada impedirá a ação da nefasta politicagem.

Você pode gostar