'Comemoração cristã' de gols gera protesto de líder religioso muçulmano à Fifa

Mohammed Alarefe questionou entidade sobre proibição do 'sinal da cruz'

Por O Dia

Rio - As comemorações envolvendo sinais religiosos são comuns em todo mundo, mas o 'sinal da cruz', tradicional para cristãos, foi tema de um questionamento de um clérigo, xeque e professor universitário da Arábia Saudita, que segue o islamismo como religião.

O que diria Alarefe da faixa utilizada por Neymar na final da Olimpíada?Júlio César Guimarães / Uol / NOPP

Mohammed Alarefe, que dá aulas na Universidade King Saud, em Riad, capital saudita, falou sobre a questão depois de assistir vídeos de comemorações de alguns jogadores de futebol.

"Eu vi vídeos de atletas e jogadores de futebol correndo e, quando ganham ou marcam gols, fazem o sinal da cruz em seus peitos. Minha pergunta é: as regras da Fifa não proíbem isso?", questionou o líder religioso.

No entanto, pouco depois de sua publicação, alguns usuários do Twitter o responderam afirmando que atletas islâmicos também comemoram seus gols demonstrando sua fé, ao ajoelhar-se e beijar o chão, como o atacante Mohamed Salah, da Roma.

Um dos que responderam Alarefe afirmou que "os esportes reúnem todos os espectros sob a bandeira de entendimento e paz". Enquanto isso, a Fifa não deu qualquer resposta ao professor.

Últimas de Esporte