Pedala, Suíça! Amigos rodam o mundo para acompanhar seleção na Copa

De bicicleta, três amigos viajam para ver de perto a estreia da seleção de seu país, neste domingo, contra o Equador

Por O Dia

Rio - Três amigos e uma única paixão: o futebol. O sonho de ver a Copa do Mundo de perto fez os suíços Pascal Schaub, Diego Fiechter e Christoph Scheider dar um passeio. Isso tudo seria muito comum se não fosse uma volta ao mundo... e de bicicleta. Ao todo, foram 325 dias, mais de dez países, algumas escalas de avião e muitas pedaladas. Em cada quilômetro, uma experiência.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

Já no Brasil, os amigos, que vão a todos os jogos da Suíça — de avião —, esperam dar sorte à seleção neste domingo, contra o Equador, às 13h, no Mané Garrincha. Apesar de todo o sacrifício, Diego acredita que o time comandado por Ottmar Hitzfeld vai parar nas oitavas de final. “O meia Shaqiri, do Bayern de Munique, é um dos melhores jogadores do Mundial, mas, ainda assim, o time não vai muito longe”, afirmou o jovem, que já tem para quem torcer. “Brasil, com certeza!”

Amigos suíços dão volta ao mundo de bicicleta para acompanhar a seleção na CopaSeverino Silva / Agência O Dia

A ideia surgiu há dois anos, enquanto os amigos, que se conheceram no trabalho, jogavam baralho. E o que parecia loucura para muitos virou a realidade dos jovens. “A gente pensou em fazer uma viagem pelo mundo. E por que não de bicicleta? Organizamos tudo e fizemos um teste com uma viagem de um fim de semana para a Itália”, contou Chris. Aos 23 anos, o aventureiro espera ver os helvéticos campeões, mas garante que, se isso não acontecer, estará torcendo para a Argentina.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Para Pascal, a experiência foi muito especial e agora ele tem histórias para contar para os futuros netos: “Na África do Sul, fomos tomar cerveja em um boteco e um cara nos chamou para pescar. Depois, ele nos levou até uma caverna, onde morava”.

O peso da bagagem foi o maior obstáculo para Diego: cada bicicleta pesava 45kg, contando com equipamentos e mochilas. Mas, depois de atingir o objetivo final, o que ficou foi o grande aprendizado. “Crescemos muito, porque tínhamos tempo para pensar enquanto pedalávamos. Os contrastes nos fizeram refletir. Em todos os países, as pessoas foram receptivas. Um cara na Austrália até nos deu a chave de casa”, disse Diego.

Trio se diverte na rotina que enfrenta para acompanhar a SuíçaSeverino Silva / Agência O Dia

Baixo Suíça agita a Lagoa no Mundial

Às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, o governo da Suíça achou uma maneira de mostrar um pouco de sua cultura e montou o ‘Baixo Suíça’. No espaço, o torcedor pode assistir aos jogos no telão, participar de sorteios e ainda experimentar a rica gastronomia suíça.

“Queremos mudar a visão antiga que o brasileiro tem do nosso país”, disse a coordenadora do projeto, Christina Gläser. O quiosque funcionará até a final da Copa, das 13h às 3h da manhã, no quiosque Palaphita Kitsch.

Últimas de _legado_Copa do Mundo