Berlusconi cria nova polêmica ao ‘barrar’ candidata grávida

Misoginia domina campanha à prefeitura

Por O Dia

Rio - Campeão de polêmicas, o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi soltou outra bola-fora, desta vez pegando carona na onda misógina que vem crescendo na política da Itália. Para o empresário, mães não podem assumir prefeituras. “Uma mãe não pode dedicar-se a um trabalho que a ocupa 14 horas por dia. Trabalho que seria terrível porque Roma está em uma situação desastrosa.”

A fala de Berlusconi foi em reação à intenção de Giorgia Meloni, líder do partido ultraconservador Irmãos da Itália e em avançado estado de gestação, de compor a chapa de centro-direita encabeçada por Guido Bertolaso, pupilo do polêmico empresário. Bertolaso, perguntado se queria Giorgia como vice, foi taxativo: “Não. Ela tem que ser mãe, e não ocupar-se dos buracos, da sujeira, do tráfego, dos ratos, da criminalidade e tudo o mais.”

Berlusconi e aliados não querem grávida como vice-prefeitaEfe

Segundo o observatório político Openpolis, somente 14% das cidades italianas têm uma mulher como prefeita, e nenhuma delas supera os 300 mil habitantes. A situação pode mudar se, como preveem as pesquisas, Virginia Raggi, a candidata do M5S, se tornar a próxima prefeita de Roma.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência