Cobrança adicional na conta de luz cai para R$ 3 em fevereiro

Tarifa de energia elétrica continua com bandeira vermelha mas sai do patamar de R$ 4,50

Por O Dia

Rio - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta sexta-feira que a bandeira tarifária a partir de segunda-feira será a de número 1 da cor vermelha. Assim, os clientes de operadoras de energia elétrica em todo o país vão pagar menos de adicional na conta de luz. A cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos serão cobrados R$ 3 nas contas. O impacto nos valores finais será de redução de até 3%.

O órgão regulador criou dois patamares para a cor vermelha, mantendo o número 2 em R$ 4,50 para cada 100 kWh que forem gastos. A Aneel também baixou o valor da bandeira amarela de R$ 2,50 para R$ 1,50.

Mesmo com a redução do valor do adicional, a bandeira permanece na cor vermelha, que indica que o custo de produção de energia no país está alto.

O sistema de bandeira é um mecanismo de cobrança nas contas de luz para cobrir a elevação do custo de produção de energia com acionamento de usinas termo-elétricas, que geram energia mais cara. Essas unidades são ligadas quando as hidrelétricas produzem menos devido ao baixo nível dos reservatórios de água.

A Aneel explicou que o novo patamar das bandeiras foi possível devido ao desligamento de termelétricas de maior custo, com o começo da operação de novas usinas e o aumento do nível dos reservatórios do Sul e Sudeste.

“Mesmo com a melhoria no cenário de geração de energia elétrica, o sinal para o consumo ainda é vermelho, e os consumidores devem combater desperdícios”, alertou a agência.

A cada mês, as condições de operação do sistema são reavaliadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que define a melhor estratégia de geração de energia. Desde que o sistema de bandeiras foi implantado, em janeiro de 2015, todos os meses a bandeira aplicada foi a vermelha. O sistema reflete o custo maior de geração de energia, por meio das termelétricas.

Últimas de _legado_Economia