França diz que não há sobreviventes em queda de avião no Sul do país

Haviam 144 passageiros na aeronave, dois pilotos e quatro comissário de bordo

Por O Dia

França - O Secretário de Estado dos Transportes francês, Alain Vidal, disse que “não há sobreviventes”, segundo o jornal Le Monde. O avião Airbus da companhia Germanwings, empresa da Lufthansa, com 144 passageiros, dois pilotos e quatro comissários de bordo caiu no Sul da França nesta terça-feira. As primeiras informações indicavam que o número de passageiros era 142, mas o chefe da companhia aérea alemã Germanwings corrigiu o número de mortos divulgado pela imprensa francesa. A aeronave fazia um voo de Barcelona para Duesseldorf. 

'Não há nada além de destroços e corpos', diz parlamentar em local de acidente

Galeria: Avião cai com 150 pessoas a bordo no Sul da França

Modelo da aeronave Airbus A 320%2C da companhia alemã Germanwings Reuters

Segundo informaram funcionários de Swissport, a companhia que presta serviços em terra para a Germanwings, a maioria dos 144 passageiros que viajavam no Airbus AA320 é de origem alemã que retornavam para suas casas de Barcelona e Palma de Mallorca. O governo da Espanha afirmou que 45 espanhóis estavam a bordo. Já o presidente da França, François Hollande, anunciou que entre as 150 pessoas que estavam a bordo haviam "vítimas espanholas e de outras nacionalidades, principalmente alemãs e turcas".

O rei Felipe VI, da Espanha, que faz uma visita de Estado à França, disse também que não há sinais de sobreviventes na queda do avião. Felipe, diante do Palácio do Eliseu ao lado da mulher, Letizia, e do presidente francês, François Hollande, disse que vai suspender a visita oficial devido ao acidente.

"Sabemos que foi em uma área de acesso extremamente difícil e que a busca será complicada", acrescentou o rei.

Rei Felipe VI%2C da Espanha faz um pronunciamento diante do Palácio do Eliseu ao lado da mulher%2C Letizia%2C e do presidente francês%2C François HollandeReuters

Hollande relatou que 114 passageiros e seis tripulantes estavam a bordo, confirmando informação da empresa aérea alemã Germanwings. Em seu perfil do Twitter, o presidente expressou "solidariedade às famílias das vítimas" e disse que a queda do avião é uma "tragédia".

Inicialmente a direção geral da Aviação Civil francesa (DGAC), informou que a aeronave da companhia Germanwings fez uma chamada de socorro antes de cair nos Alpes franceses. Porém, confirmou na tarde desta terça que o avião da Germanwings não fez alerta de socorro antes de cair.

"Foi o controlador aéreo quem lançou o alerta porque tinha perdido contato com o avião, às 10h30 locais (6h30 de Brasília), disse à Efe um porta-voz da DGAC. O funcionário afirmou que nada indica que as condições meteorológicas fossem ruins no momento do acidente.

Segundo a imprensa francesa, o avião pode ter se chocado contra o maciço de Trois Evéchés, uma zona muito montanhosa dos Alpes franceses. O avião desapareceu dos radares por volta das 11h locais (7h de Brasília) nos Alpes franceses.

Avião seguia da Espanha para a França e caiu no Sul do país%2C na região dos Alpes FrancesesReprodução / Flight Aware

De acordo com especialistas, este tipo de queda costuma ser atípica, já que o acidente não ocorreu na hora da decolagem e nem na aterrissagem. A aeronave teria perdido a altitude após 1 hora e 10 minutos de voo e consegui recuperar a altitude, mas voltou a cair demorando cerca de 14 minutos para atingir os Alpes perto de uma estação de esqui. Destroços foram localizados em uma região de 2 mil metros de altitude.

O secretário de transportes da França, Alain Vidalies, informou que helicópteros de resgate localizaram destroços da fuselagem e alguns corpos no local da queda do avião da Germanwings. O jornal francês Le Monde disse que 80 bombeiros e 200 policiais já se encaminham para a região onde estão os destroços, que é considerada de difícil acesso, e que fica perto do município de Prads-Haute-Bléone.

A companhia aérea Lufthansa se pronunciou imediatamente em sua conta no Twitter, sobre o acidente. Por meio de seu CEO, Carsten Spohr, ela disse: "Pedimos a solidariedade das famílias dos passageiros e dos tripulantes neste momento. Se os nossos medos se confirmarem, este será um dia sombrio para a Lufthansa".

Familiares aguardam informações

Fontes do aeroporto de Barcelona disseram que foi criado uma operação de atendimento aos parentes dos passageiros que estavam a bordo do voo. A vice-presidente do governo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, disse que se constituiu um gabinete de crise para abordar o caso.

Sáenz de Santamaría afirmou que o governo espanhol está em contato com outros executivos europeus e com as embaixadas espanholas na França e Alemanha para coordenar as ações. A vice-presidente disse que a lista se vítimas será liberada o mais rápido possível.

Merkel diz que está consternada

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, expressou sua tristeza pelo acidente aéreo ocorrido nesta terça-feira nos Alpes franceses, e disse que conversou com o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, e o presidente francês, François Hollande, sobre o acompanhamento do caso. A chanceler está em "permanente contato" com o ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, e com o ministro dos Transportes, Alexander Dobrindt, informou o porta-voz do Executivo, Steffen Seibert.

O departamento das Relações Exteriores abriu uma linha de atendimento aos cidadãos para receber chamadas de possíveis familiares de vítimas.

Policiais espanhóis escoltam familiares até o aeroporto de El Prat de BarcelonaReuters

A chanceler, que cancelou todas as entrevistas previstas para esta terça-feira, fará um pronunciamento oficial sobre o acidente nesta terça às 10h30 (de Brasília), informou seu porta-voz.

A companhia Germanwings, unidade de baixo custo da Lufthansa, confirmou em uma breve declaração que o avião acidentado nos Alpes franceses cobria a rota entre Barcelona e Dusseldorf com 144 passageiros a bordo e seis tripulantes. O acidente aconteceu pouco depois das 11h20 locais (7h20 de Brasília). A causa da queda ainda é desconhecida e não se sabe se há sobreviventes.

A companhia aérea se comprometeu a tentar esclarecer o mais rápido possível os fatos relacionados ao acidente e a fornecer ajuda aos afetados pela tragédia, a quem transmitiu suas condolências.

Turma de 16 estudantes alemães voltava de intercâmbio em Barcelona

Entre as 150 vítimas do acidente estava uma turma com 16 estudantes alemães que voltavam de intercâmbio em Barcelona, na Espanha. As informações são da rede de televisão espanhola TV3. Os alunos, com idade em torno de 15 anos, tinham feito aulas no Institut Giola de Llinars, em Barcelona. Além dos estudantes, há a possibilidade de que quatro professores acompanhassem o grupo, segundo o jornal catalão "Nació Granollers".

Sindicato dos controladores de voo suspende greve após acidente

O sindicato de controladores de voo francês, anunciou a suspensão de uma greve de três dias da categoria programada para começar nesta quarta-feira.

"Nestas circunstâncias dramáticas, e considerando a emoção que este acidente aumenta, especialmente entre os controladores de tráfego aéreo, o sindicato decidiu suspender o seu aviso de greve", informou em nota.

Com informações da Reuters, EFE, e do iG

Últimas de _legado_Mundo e Ciência