PSB quer a suplência de Romário

Partido, que cedera ao PCdoB a vaga do ‘reserva’ do Baixinho, teme prejudicar Campos

Por O Dia

Rio - A Executiva Estadual do Partido Socialista Brasileiro (PSB) entrará com um recurso, nesta semana, ao Tribunal Regional Eleitoral, reivindicando a saída de João Batista Lemos (PCdoB) da vaga de primeiro suplente do candidato a senador Romário (PSB). A medida foi decidida na quinta-feira após o PSB reconhecer que a vaga deveria ser de Vivaldo Barbosa, como já havia sido estabelecido na convenção do partido no fim do mês passado.

Vaga do suplente de Romário ao Senado era de Vivaldo Barbosa Fernando Souza / Agência O Dia


Além do recurso no TRE, o PSB vai tentar o apoio do Partido dos Trabalhadores (PT), que também integra a coligação Frente Popular, para reforçar o coro pela substituição de João Batista Lemos por Vivaldo Barbosa. Uma reunião está marcada para hoje no PT, às 17h, quando os dois partidos tratarão do assunto.

“A vaga de primeiro suplente já era minha, e o PSB resolveu ceder na última hora pelas ameaças do PCdoB em lançar um candidato ao Senado de maneira separada. Depois, o PSB reconheceu que perderia tempo na propaganda eleitoral e agora tenta reconquistar a vaga”, explicou Vivaldo.

Ele teme pelo bem-estar da coligação. “Para seguirmos em harmonia, precisamos cumprir o que já havia sido estabelecido. Caso contrário, o papel do PSB vai esfriar nesta coligação”.

Se a vaga continuar com João Batista, o PSB será prejudicado, pois perderá tempo na propaganda eleitoral estadual para defender o candidato do partido à presidência, Eduardo Campos (PSB). O PCdoB apoia a reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT). “Se o Romário precisasse faltar a um debate, por exemplo, o João Batista iria em seu lugar e levaria o material de campanha com o apoio a Dilma”, acrescentou Vivaldo.

A coligação Frente Popular, que apoia Lindberg Farias e Romário, é composta pelo PT, Partido Verde (PV), PSB e PCdoB.

Últimas de Rio De Janeiro