Criminosos incendeiam ônibus e caminhão de verduras na Avenida Brasil

Ação teria sido orquestrada por traficantes da comunidade da Palmeirinha, em Guadalupe, em represália a morte de menor que seria ligado a quadrilha

Por O Dia

Rio - Um ônibus e um caminhão-baú carregado de verduras foram incendiados nas pistas lateral sentido Centro e central sentido Zona Oeste, na altura de Guadalupe, na Zona Norte do Rio, na madrugada deste sábado. Não houve prisões nem feridos. A polícia suspeita que o ataque tenha sido orquestrado por bandidos da comunidade da Palmeirinha, que fica entre os bairros de Guadalupe e Honório Gurgel, em represália a morte de um menor de idade, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, em confronto com policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), hora antes do incidente. Um outro adolescente também foi baleado e está internado no Hospital Estadual Carlos Chagas (HCC), em Marechal Hermes.

De acordo com o motorista do caminhão-baú placa LLI-4170, da empresa Paquy de Teresópolis, que não se identificou por medida de segurança, ele e um ajudante tinham vindo da Região Serrana para realizar uma entrega de verduras na cidade de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio. Ele trafegava pela pista central, sentido Zona Oeste, por volta das 2h, quando foi obrigado a parar por cerca de 200 pessoas que estavam na via, na altura da passarela 30, em frente ao Jardim Guadalupe Shopping, e a atravessar o veículo. Algumas estava armadas.

Caminhão-baú carregado de verduras foi incendiado por bandidos%2C na Av. BrasilOsvaldo Praddo / Agência O Dia

"Nunca vi tanta gente. Muitos com paus, pedras, alguns com pistola e fuzil. Me mandaram descer do caminhão e comecei a correr. Depois disso ouvi tiros a esmo e o veículo explodindo, e então, só vi chão e chão. Corri feito um louco e pedi ajuda. Esse é o Rio de Janeiro", relembrou o motorista de 39 anos, após prestar depoimento na 31ª DP (Ricardo de Albuquerque). O ajudante dele, de 27 anos, foi agredido com um chute na perna e quase foi atingido por uma barra de ferro. Os documentos, celulares e bolsas deles ficaram no caminhão e foram destruídos pelas chamas. O veículo de R$ 130 mil tinha sido comprado pela empresa na semana anterior. A carga foi avaliada em R$ 30 mil, segundo o motorista.

Simultaneamente, o mesmo grupo atravessou a via e ateou fogo em um ônibus da linha 551 (Nova Iguaçu-Penha), da Viação Nossa Senhora da Penha, na pista lateral sentido Centro. PMs do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), bombeiros do quartel de Guadalupe e agentes da CET-Rio não souberam informar se haviam passageiros e a quantidade deles no veículo. Até às 5h, nem supostos passageiros, o motorista ou representantes da empresa tinham comparecido à delegacia para prestar depoimento.

Mesmo ateou fogo em um ônibus da linha 551 (Nova Iguaçu-Penha)Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Após o incidente, policiais do Batalhão de Choque do 41º BPM (Irajá) reforçaram o policiamento no local. Eles chegaram a fazer um patrulhamento na Rua Leocádio Figueiredo, que dá acesso a comunidade da Palmeirinha e por onde o grupo teria acessado e deixado a Avenida Brasil. As pistas onde os ônibus foram incendiados tiveram que ser interditadas para o trabalho dos bombeiros e de limpeza dos garis da Comlurb. De acordo com o Centro de Operações Rio, elas foram totalmente liberadas por volta das 5h, após a retirada dos veículos. Até este horário o policiamento estava reforçado no local.

PM confirma baleados em confronto

A ação criminosa na Avenida Brasil pode ter sido desencadeada pelo ferimento à bala em um menor e pela morte de outro em confronto com a PM na Palmeirinha, no início da madrugada. De acordo com o Serviço Reservado (P-2) do 9º BPM, com os acusados de participar do tiroteio foram apreendidas uma pistola e um revólver calibre 38. Um deles morreu no HCC e o outro está internado na mesma unidade. O caso foi registrado na 29ª DP (Madureira), central de flagrantes da região.

Após o confronto e antes do ataque na Avenida Brasil, bandidos incendiaram uma feira que era montada na Rua Américo Rocha, em Marechal Hermes. Bombeiros do quartel de Campinho conseguiram debelar as chamas. Não houve feridos.

Últimas de Rio De Janeiro