Será neste domingo missa de diretor de TV morto pelo filho

Como O DIA antecipou ontem, jovem atirou no pai, Marcus Coqueiro, achando que era um ladrão. Ele se apresentou na delegacia, pagou fiança e está em liberdade

Por O Dia

Rio - A Divisão de Homicídios encaminhou à Justiça o inquérito sobre a morte do diretor de TV Marcus Coqueiro, que foi baleado acidentalmente pelo filho no último dia 7. Segundo a Polícia Civil, Gabriel Coqueiro de Vasconcelos, de 23 anos, teria confundido o pai com um ladrão, conforme antecipou ontem a coluna do Leo Dias. A missa de sétimo dia do diretor será realizada hoje, às 10h, na Paróquia São Francisco de Paula, na Barra da Tijuca.

Marcus desistiu de viagem e não avisou ao filho%2C que o confundiuReprodução Internet

O filho de Marcus foi autuado em flagrante, por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), em decorrência da interpretação equivocada da realidade. Ele chegou a ser detido, também pelo crime de porte ilegal de arma, mas pagou fiança e foi liberado no mesmo dia.

Em depoimento à Divisão de Homicídios, o jovem informou que a casa onde morava com o pai, em uma chácara na Taquara, havia sido assaltada e Marcus teria comprado um revólver por segurança. No dia do crime, o diretor de TV tinha avisado que iria viajar para São Paulo, mas desistiu e não comunicou ao filho.

Ele continuou em casa e viu quando Gabriel chegou com a namorada. Como Marcus estava com trajes íntimos, seguiu em direção ao quarto e seu filho foi atrás, pensando que tratava-se de um ladrão. O cômodo estava escuro e o jovem atirou no diretor, que não resistiu.

Marcus tinha 59 anos e trabalhava em televisão há 20. Com a função de diretor, ele passou pela Record, Band, Globo e SBT. Irmão do também diretor Ignácio Coqueiro, esteve à frente de novelas como Poder Paralelo, da Record, e Amor e Revolução, do SBT. Ontem, amigos de Marcus celebraram uma missa em São Paulo, onde o profissional de TV já morou.

Últimas de Rio De Janeiro