Secretaria de Segurança prende chefe do tráfico de drogas em Niterói

Alcindo Luis Fernandes, 46, o Da Cabrita, uma das mais antigas lideranças do CV, liderava a quadrilha que atua no Complexo do Caramujo

Por O Dia

O traficante vinha sendo investigado e foi surpreendido na casa onde estava escondido, após uma semana de vigilância dos agentesWhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Agentes da Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Segurança Pública (Seseg) do Rio prenderam na noite deste sábado, um homem apontado como um dos mais antigos e principais líderes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que estava em liberdade. Alcindo Luis Fernandes, de 46 anos, conhecido como Da Cabrita, chefiava a quadrilha que atua no Complexo do Caramujo, na Zona Norte de Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A Seseg não informou o local da prisão.

O traficante vinha sendo investigado pela SSINTE e foi surpreendido na casa onde estava escondido, após uma semana de vigilância dos agentes. Contra ele havia cinco mandados de prisão pendentes. O Disque-Denúncia oferecia uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levassem a sua captura

Da Cabrita chefiava o tráfico de drogas de todo o Complexo do Caramujo, que abrange os morros da Lagoinha, Caramujo, Caixa D'Água e do Céu, além de ter grande influência no tráfico de drogas do Complexo do Alemão e em várias comunidades da Baixada Fluminense.

O acusado era um dos homens de confiança do traficante Luciano Martiniano da Silva, o Pezão, o antigo chefe do tráfico de drogas do Complexo do Alemão e um dos líderes do CV naquela região que ainda está solto, mesmo após a ocupação pelas forças de segurança do Rio.

Apontado pela polícia como um dos principais sequestradores nos anos 90, Da Cabrita já foi condenado duas vezes por tráfico e ficou preso entre janeiro de 2000 e dezembro de 2008. De volta às ruas, à época assumiu o tráfico no vizinho Morro do Adeus, em Ramos, também no Complexo do Alemão, antes da comunidade ser pacificada pelas forças de segurança do Rio.

Últimas de Rio De Janeiro