Irritados com o PMDB, integrantes do PT cogitam apoiar Crivella à prefeitura

Petistas haviam decidido fechar com a candidatura de Pedro Paulo (PMDB), indicado por Eduardo Paes

Por O Dia

Rio - A irritação do PT com o PMDB-RJ é tanta que integrantes da direção nacional do partido cogitam apoiar Marcelo Crivella (PRB) à Prefeitura do Rio. Os petistas haviam decidido fechar com a candidatura de Pedro Paulo (PMDB), indicado por Eduardo Paes.

Presidente do PT-RJ, Washington Quaquá foi procurado por dirigentes nacionais do partido: queriam saber se ele se opunha a conversas com Crivella. Quaquá disse não ver problema, mas afirmou que esta não é sua opção favorita caso a relação com o PMDB venha a piorar.

Wadih ou Jandira
O dirigente quer o lançamento da candidatura de Wadih Damous (PT) ou de Jandira Feghali (PCdoB) caso o PMDB-RJ passe a defender o impeachment. Quaquá quer saber ainda se Pedro Paulo assumirá seu mandato de deputado federal para votar a favor de Dilma: ontem, o pré-candidato peemedebista foi a Brasília apoiar o rompimento com a presidente.

Sem punições
Líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani afirma não acreditar na possibilidade de o partido cumprir a promessa de abrir processos éticos contra filiados que permanecerem no governo.

Menos radical
Picciani diz que a retaliação não é compatível com o PMDB e que a ausência de punições foi acertada em conversa de Michel Temer e Renan Calheiros, presidente do Senado. Ele sustenta que o desembarque peemedebista não é tão radical: o texto aprovado diz que o partido requer — não determina — a saída dos cargos. Destaca que a nota fala que ninguém ocupará cargos “em nome do PMDB”, o que permitiria que um peemedebista ficasse no governo em caráter pessoal.

Encontro
Na noite desta terça-feira, quatro dos seis ministros peemedebistas — Kátia Abreu, Celso Pansera, Marcelo Castro e Helder Barbalho — teriam reunião com Renan para discutir o futuro.

Cabralzinho viajou
Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador, também fez questão de ir a Brasília aclamar o rompimento do PMDB com Dilma Rousseff.

Cabral imitou
Já Sérgio Cabral foi visitar Pezão e divertiu o governador com sua imitação de Francisco Dornelles — em outros tempos, adorava reproduzir gestos e falas de Lula.

‘Apelo’ a Temer
A hashtag “#renunciatemer” ficou em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados no Twitter pelos brasileiros. Às 20h21, era a sexta mais publicada por internautas de todo o mundo. Os autores da conclamação dizem que Temer, por ser do PMDB, também deveria romper seus vínculos com o governo Dilma. Caso renunciasse, ele não assumiria o governo após um eventual impeachment da presidente.

Mudança de lado
Apesar da boa relação que vinha mantendo com Dilma e de ter feito campanha para a presidente em 2014, a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) mudou de lado. Nas redes sociais, tem postado mensagens favoráveis à derrubada da petista.

Últimas de Rio De Janeiro