Artista plástica iguaçuana ganha prêmio da Sociedade Brasileira de Belas Artes

Glória Gouveia, de Vila de Cava, concorreu com mais de 200 artistas brasileiros e da América Latina

Por O Dia

Nascida e criada no bairro Vila de Cava, zona rural de Nova Iguaçu, Gloria Gouvêa, de 52 anos, ficou em terceiro lugar na categoria pintura, com a tela 'Garota da Lage', que é uma homenagem à mulher brasileira, feita é uma porta velha de armário. A iguaçuana concorreu em abril deste ano com mais de 200 artistas brasileiros e da América Latina, o prêmio do Salão Nacional de Belas Artes “Rio, 450 anos de Encantos Mil”.

Gloria afirma que todas as suas obras são criadas através de matéria prima reciclada. “Para mim, o terceiro lugar vale como medalha de ouro. Não esperava ganhar. Fui sem nenhum recurso e com muita dificuldade. Os outros artistas tinham trabalhos espetaculares. Estou muito feliz”, conta ela.

Gloria Gouvêa com a tela "Garota da Laje"%2C terceiro lugar no Salão Nacional de Belas Artes - Rio%2C 450 anos de Encantos MilThiago Loureiro

A tela ganhadora, assim como os demais trabalhos inscritos no concurso, ficaram expostos na sede da Sociedade Brasileira de Belas Artes, na Lapa, entre 26 de março a 9 de abril, dia do resultado final. Agora, com a tela em mãos, Gloria luta para viver da sua arte na Baixada Fluminense. “Há muitos anos estou arrastando a arte em Nova Iguaçu. Já ganhei prêmios na Região dos Lagos e Paty do Alferes. Mas na minha cidade, fico no anonimato”, afirma.

Com a obra prima sendo extraída das ruas, Gloria transforma pneus, garrafas, tecidos, caixotes de feira e móveis velhos em quadros, esculturas, vasos e enfeites. Há 34 anos fazendo arte sustentável, ela já retirou toneladas de lixo das ruas, contribuindo ainda com o meio ambiente. “Aos 18 anos fiz minha primeira obra com tinta que minha irmã achou no lixo. A tela usada foi o fundo de uma gaveta velha. Daí em diante, aprimorei minha técnica e continuo usando materiais que as pessoas descartam. Hoje, meu ateliê está cheio de pneus. Estou com uma grande inspiração e trabalhando muito com isso”, explica.

Gloria Gouvêa também é procurada para a confecção de cartazes e letreiros de lojas e igrejas, por exemplo. Seus trabalhos ficam expostos no ateliê, localizado na Rua Bayron Dori de Almeida, nº 472, em Vila de Cava. Para viver, a artista divide seu tempo como recepcionista de uma empresa de segurança, que está afastada por conta de uma cirurgia. “Meu sonho é dedicar todo o meu tempo para a arte. Mas antes disso, quero conscientizar as pessoas sobre a causa ambiental. Uma simples atitude pode gerar um grande desastre ecológico. Esta é a minha luta”, conclui.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada