Primavera atrai negócios no setor de flores do interior

Maior produtor do estado, município de Bom Jardim, na Região Serrana, promove Festa da Flor e do Café amanhã e domingo. Em novembro, é a vez de Nova Friburgo

Por O Dia

Rio - Da plantação do floricultor José Roque Barroso, em Bom Jardim, na Região Serrana, brotam rosas, crisântemos, chuvas de prata e outras espécies. Há quase quatro décadas trabalhando com flores, todo ano ele aguarda a chegada da primavera para participar das feiras da região, com o objetivo de incrementar a venda de seus produtos. Ele é um dos expositores da quinta edição da Festa da Flor e Café, que acontece sábado e domingo na cidade.

Ao todo, 148 produtores vão apresentar, principalmente, rosas de tipos variados aos visitantes. O município é a mais importante área de produção de rosas no estado, que atualmente é o segundo maior produtor e consumidor de flores do país. 

“Com as feiras, estou variando minha clientela. Agora, além da Cadeg (em Benfica, na Zona Norte do Rio), vendo para a Região dos Lagos e até para Juiz de Fora, em Minas Gerais”, disse José Roque. A chegada da estação das flores anima outros produtores do estado, que se preparam para expor em feiras e eventos. Em novembro, será a vez dos cerca de 220 floricultores de Nova Friburgo — principal polo produtor de flores de corte do Rio — exporem seus produtos na 10ª Festa da Flor, entre os dias 20 e 23.

Floricultura fluminense movimentou cerca de R%24 573 milhões em 2013%2C 20% a mais do que no ano anterior. Já são 1.020 produtores no estadoDivulgação

As feiras são frequentadas por proprietários de floriculturas e decoradores, os principais clientes das flores de corte. Os eventos representam a oportunidade de promover a produção local e incrementar a comercialização dos produtos.

Com saltos expressivos nos últimos anos, a floricultura fluminense movimentou cerca de R$ 573 milhões em 2013, 20% a mais do que no ano anterior, produzindo 506.835.120 de flores, folhagens e plantas. São aproximadamente 1.020 produtores em todo o estado — metade deles na Região Serrana — que já são responsáveis pela geração de 18 mil empregos diretos e indiretos.

“Este crescimento é resultado dos incentivos de crédito, capacitação e tributação do governo do estado, que ajudaram a atrair novos empreendedores, elevando a área de produção de 700 para 950 hectares, um aumento de 35%”, disse o secretário de Agricultura, Alberto Mofati.

Cultivo chega ao Noroeste

Além de ocupar as áreas já tradicionais de produção, como os municípios das regiões Serrana e Metropolitana, a floricultura está se expandindo por outras regiões do estado. No Noroeste, as condições climáticas favoreceram o cultivo de orquídeas, plantas ornamentais e flores tropicais. Antes, apenas quatro produtores de Santo Antônio de Pádua e Varre-Sai se dedicavam à floricultura. Hoje, este número passou para 17, distribuídos também nos municípios de Bom Jesus do Itabapoana, Miracema, Itaperuna e Porciúncula.

O programa Florescer, do governo do estado, oferece linhas de crédito com financiamentos entre R$ 50 mil e R$ 100 mil, a juros de 2% ao ano. Até hoje, foram destinados R$ 1,6 milhão de recursos estaduais para financiar 41 projetos de floricultores fluminenses. Ao todo, cerca de 600 produtores já foram beneficiados pelo programa, incluindo os que receberam capacitação técnica. “O projeto ajudou a modernizar a estrutura de produção, a aquisição de novas variedades de cultivo e a padronização de embalagens”, explicou a coordenadora do programa Florescer, Nazaré Dias.

Últimas de _legado_O Dia no Estado