Justiça bloqueia bens de prefeito de Cardoso Moreira

Compra de terreno pelo município teria sido superfaturada

Por O Dia

Rio -  A Justiça bloqueou nesta terça-feira os bens do prefeito de Cardoso Moreira, Genivaldo da Silva Cantarino, e de outros quatro acusados de envolvimento na compra superfaturada de um terreno pelo município do Norte Fluminense. A decisão foi tomada pelo juiz Rodrigo Pinheiro Rebouças, titular da Comarca de Italva/Cardoso Moreira, em liminar que decretou a indisponibilidade dos bens do político.

De acordo com informações do TJ, na ação civil de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito, ajuizada pelo MP, o terreno teria sido comprado por Maria Nilza Carvalho Pinheiro, companheira do irmão do prefeito, Nivaldo da Silva Cantarino, em janeiro de 2013, por cerca de R$ 65 mil. Em seguida, o mesmo terreno foi vendido à prefeitura, dez meses depois, por cerca de R$ 300 mil.

Na decisão, o juiz estabeleceu o valor de R$ 1,2 milhão (equivalente à venda do terreno, mais multa de até três vezes) para garantia do ressarcimento aos cofres públicos e quebra do sigilo fiscal para que a Receita Federal encaminhe cópia das declarações de imposto de renda dos acusados. A reportagem do DIA tentou contato com o prefeito, mas não obteve retorno até o fechamento da edição.

Últimas de _legado_O Dia no Estado