Polícia Federal investiga Cedae e Águas de Niterói

Inquérito apura se concessionárias estão despejando esgoto sem tratamento adequado na Baía de Guanabara e nas lagoas da Barra

Por O Dia

Rio - A Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) investigam se as concessionárias Cedae e Águas de Niterói estão lançando esgoto, sem o devido tratamento, nas águas da Baía de Guanabara e lagoas da região da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, apesar de cobrarem taxas para este serviço dos consumidores.

A operação, denominada Feng Shui, baseada na filosofia chinesa que recomenda a prosperidade relacionada ao equilíbrio dos elementos da natureza, foi iniciada há um ano. Equipes com 56 policiais cumpriram oito mandados de busca e apreensão e coletaram amostras de esgoto nas estações Alegria, Barra da Tijuca, Pavuna, Penha, São Gonçalo e Sarapuí, da Cedae, e na estação de Icaraí, da companhia Águas de Niterói.

Essas foram as primeiras amostras coletadas. Os materiais serão analisados pelos peritos da PF e, se for constatado o não tratamento adequado, as empresas poderão responder por dois crimes, de acordo com o delegado da Polícia Federal, Marcelo Prudente. “O primeiro seria o crime ambiental e o segundo de estelionato, por cobrar pelo serviço e não efetuá-lo adequadamente”, explicou.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) será convocado a fornecer dados à Polícia Federal. Já o Procon só será procurado caso seja comprovado o crime de estelionato. o delegado acrescentou que está apurando também se as estações possuem licenciamento ambiental e que a investigação corre sob sigilo da justiça.

Segundo o procurador da república, do ofício de Meio Ambiente do MPF do Rio, Sérgio Suiama, a Cedae vem descumprindo uma série de obrigações relacionadas às medidas judiciais a serem tomadas no complexo lagunar da Barra da Tijuca. “Há evidências que a estação de tratamento da Barra não está funcionando de maneira adequada até no que diz respeito ao processamento do esgoto que é lançado no mar”, afirmou Suiama.

A Cedae negou fazer cobranças indevidas e afirmou que suas unidades de tratamento de esgoto contribuem efetivamente para melhoria da qualidade de vida da população. A companhia informou que ficou surpresa com a ação policial porque nunca colocou empecilho às fiscalizações. Já a companhia Águas de Niterói, responsável pelo tratamento de esgoto da estação de Icaraí, informou que disponibilizou amostras do esgoto coletado e tratado na estação, além de laudos das análises realizadas periodicamente. Segundo a empresa, atualmente a unidade trata 95% de todo esgoto gerado em Niterói, que seria um dos maiores índices do país.

Para o biólogo Mário Moscatelli, grande parte da poluição da Baía de Guanabara também é proveniente do despejo irregular ou vazamento de óleo de embarcações e marinas, além de indústrias que despejam produtos químicos nos rios que deságuam no local.

Últimas de Rio De Janeiro