Irlandês membro do COI é preso por envolvimento em venda ilegal de ingressos

Patrick Hickey foi preso na manhã desta quarta-feira por facilitação ao cambismo, marketing de emboscada e formação de quadrilha

Por O Dia

Rio - Agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF), com o apoio do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) e do Núcleo de Apoio a Grandes Eventos (NAGE), prenderam um membro do Comitê Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI), na manhã desta quarta-feira, em um hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. De acordo com a polícia, foi descoberta a participação do irlandês Patrick Hickey em um esquema internacional de cambismo.

Hickey, que também é presidente do Comitê Olímpico da Irlanda, responderá por facilitação ao cambismo, marketing de emboscada e formação de quadrilha. A operação, coordenada pelos delegados Ronaldo Oliveira e Ricardo Barbosa, cumpriu um mandado de prisão e de busca e apreensão no apartamento onde estava o irlandês, com base na investigação da DDEF. O dirigente passou mal quando a polícia chegou no local para prendê-lo. Com base nas provas contra Patrick a especializada pediu a sua prisão, que foi decretada pela Justiça.

Policiais civis chegam a hotel para cumprir mandado de prisão contra irlandês envolvido na máfia dos ingressos nas OlimpíadasReprodução Vídeo / Divulgação

LEIA MAIS

Identificados mais quatro integrantes de quadrilha de cambismo nos Jogos

Integrantes de quadrilha de cambismo são presos no Rio

Em 5 de agosto, foram presos em flagrante Kevin Mallon, diretor da empresa THG, e Bárbara Carnieri. Durante esta ação, foram apreendidos mais de mil ingressos que eram comercializados por valores muito elevados. Para a cerimônia de abertura, por exemplo, havia ingressos vendidos a US$ 8 mil (R$ 25 mil) cada um.

Patrick Hickey foi preso na manhã desta quarta-feira em um hotel na Barra e por envolvimento com quadrilha de cambismoAFP

Também foram decretadas as prisões de David Patrick Gilmore, Marcus Paul Bruce Evans, Maarten Van Os e Martin Studd, outros quatro diretores da empresa THG. A Polícia Civil comunicou à Polícia Federal e à Interpol sobre estes mandados de prisão.

Em 2014, a empresa THG teve seu CEO James Sinton preso pela Polícia Civil, envolvido na “máfia dos ingressos” da Copa do Mundo de 2014.

Últimas de Rio De Janeiro