Morte de torcedor do Botafogo causa comoção nas redes sociais

Delegacia de Homicídios (DH-Capital) tenta identificar e localizar suspeitos de participar da morte de Diego. Outras oito pessoas ficaram feridas

Por O Dia

Rio - A morte do torcedor do Botafogo, baleado durante uma briga generalizada antes do clássico entre o Alvinegro e Flamengo, no estádio do Engenhão, vem causando comoção nas redes sociais. Amigos, familiares de Diego Silva dos Santos e até torcedores rivais usaram páginas para lamentar a violências nos estádios. 

Uma postagem de Diego lembrando de outro integrante de uma organizada, com a frase "Nunca será esquecido" serviu para amigos e familiares lamentarem a sua morte. "Você também não sera irmão...nunca sera esquecido...".

Diego foi morto após ser baleado em confusão na porta do Engenhão%2C antes do clássico entre Botafogo e FlamengoReprodução Facebook

"Infelizmente mais um se vai, quantos mais precisarão morrer, para "vocês" que vão ao estádio em busca de tirar uma vida e fazer famílias chorarem, se ligar que isso não compensa, quantos mais precisarão morrer?", disse outro amigo. 

A Delegacia de Homicídios (DH-Capital) tenta identificar e localizar os suspeitos de participar da morte de Diego. A Polícia Civil informou que um inquérito já foi aberto. Equipes da DH realizaram uma perícia onde o jovem foi baleado. Na manhã desta segunda-feira, a família da vítima foi ao Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo.

Parentes de botafoguense morto antes do clássico foram até o IML nesta segunda-feiraEstefan Radovicz / Agência O Dia

Além de Diego, outras oito pessoas deram entrada no Hospital Salgado Filho, no Méier, após a confusão na porta do Engenhão, pelo menos duas dessas feridas por tiros. Cinco deles já tiveram alta e dois ainda estão internados, um deles, identificado apenas como Anderson, está em estado grave. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o estado de saúde do outro paciente é estável. 

Torcedor do Fluminense agredido

No último dia 5, um torcedor do Fluminense foi agredido com golpes de barra de ferro e pedaços de madeira na cabeça, no momento em que voltava do jogo contra a Portuguesa, nas imediações do Maracanã, na Zona Norte do Rio.

Pedro Lucas Scudieri, de 23 anos, sofreu traumatismo carniano. O jovem é estudante da Univerdidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante da torcida organizada Bravo 52, conhecida por ser pacífica.

Últimas de Rio De Janeiro